A BELEZA

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

A beleza sempre foi objeto de reflexões, análises, discussões, teorizações, controvérsias, poemas, comentários, etc.

Um poeta já escreveu que a beleza está nos olhos de quem vê…e com razão…

De fato, o conceito de beleza, a ideia de beleza, a percepção de beleza, etc, é realmente subjetivo.

Várias pessoas podem olhar para um mesmo objeto, ou uma mesma paisagem, e terem percepções diferentes acerca da beleza.

Nem todos acham belo ou feio as mesmas coisas, as mesmas paisagens, os mesmos objetos, as mesmas formas, sejam animais, plantas ou seres humanos.

Por isso de fato a beleza está nos olhos, ou melhor dizendo, indo mais fundo, na mente de quem vê.

A depender dos nossos conceitos, das nossas buscas, dos nossos condicionamentos, etc, veremos ou não beleza nas coisas, nas formas…

Em um momento podemos achar uma paisagem bela, e no dia seguinte não vermos mais a mesma beleza…e da mesma forma podemos no dia seguinte ver beleza onde no dia anterior vimos apenas feiura…

Podemos hoje achar uma pessoa feia, porque observamos apenas a beleza exterior, estética, que é altamente condicionada a padrões estéticos produzidos culturalmente e pela mídia, e depois de algum tempo, conhecendo a pessoa melhor, passarmos a ver nela uma beleza antes não enxergada, mesmo sem que tenha havido qualquer mudança na aparência estética externa da pessoa.

Os negros africanos, antes de manterem contato com outros povos de pele clara não tinham parâmetro de comparação, e o único padrão de cor que eles tinham era o negro. Todavia, depois da chegada dos homens de cor branca no continente africano, muita coisa mudou, e passou a haver discriminação de lado a lado, discriminação racial.

O mesmo se aplica aos asiáticos, antigamente chamados de amarelos.

Quando olhamos com o olhar do espírito, não vemos cores de pele, nem formato de cabelo, ou de nariz, ou diferenças de roupas, mas vemos apenas o ser por trás da aparência.

Olhar com o olhar do espírito nos leva a vermos a essência por trás da aparência, o ser por trás da forma exterior.

Ainda estamos muito presos à forma estética, aos modelos fixados pela mídia, pela cultura, pela sociedade. E isso atrapalha muito a visão interior, pois vemos quase sempre com os olhos viciados e condicionados.

Vemos o branco ou o negro, o cabelo liso ou ondulado, o nariz fino ou mais redondo, os olhos claros ou escuros antes de percebermos que dentro da roupagem de carne há um ser inteligente, um espírito, uma alma imortal, em evolução, amando e desejosa de ser amada, sofrendo, aprendendo, etc.

Quantas oportunidades de conhecer pessoas fantásticas já perdemos por causa do nosso preconceito de raça, de cor, de aparência, de cultura, etc.

Quantos muçulmanos maravilhosos há no mundo, que deploram o terrorismo e a violência de todo tipo…mas a massificação do preconceito prejudica a todos nós, que passamos a achar que todos eles são homens-bomba em potencial, que são todos fanáticos religiosos, terroristas.

Nem todos os cubanos são comunistas. Nem todos adoram e acreditam no comunismo como forma ideal de governo, da mesma forma que nem todos os americanos são capitalistas selvagens querendo dominar o mundo com a economia. Mas o preconceito nos afasta uns dos outros.

Criamos uma sociedade que idolatra os belos em aparência, dando-lhe toda a riqueza, o poder, o respeito, o amor, mesmo que eles sejam feios por dentro, mesmo que sejam egoístas, individualistas, orgulhosos e vaidosos ao extremo.

Por outro lado, essa mesma sociedade despreza os feios, de acordo com os padrões estéticos estabelecidos, e não há como competir. Os feios não têm vez diante de um concorrente belo.
Em muitos empregos a beleza conta, e muito. E nem sempre quem tem o melhor currículo vence na busca de empregos, notadamente quando o empregado precisa ter “boa aparência”, na representação da empresa.

Está mais do que na hora de pensarmos e repensarmos sobre isso, e pararmos de dar tanta importância à beleza exterior, apenas. De pararmos de dar preferência ao belo, quando se trata de ser humano.

Precisamos deixar de discriminar os menos belos. Afinal, se a beleza está nos olhos de quem vê, como escreveu o poeta, então quem não vê beleza não está se sentindo belo, ou não tem também beleza interior.

Quando realmente conquistamos o descondicionamento, passamos a dar maior valor ao que está dentro da aparência, dar mais valor à essência.

Vendo o ser no interior da forma externa, vendo sempre um irmão, um ser divino por trás de todos os seres inteligentes do universo, veremos sempre beleza, a beleza divina em tudo.

Deus é beleza, e Ele se expressa em tudo com beleza.

O descondicionamento nos permite ver beleza até nas baratas, nos urubus, nos ratos, nas cobras.

A nossa visão limitada é que nos faz ver beleza em poucas coisas, sempre presos a valores culturais, a modelos estéticos impostos pela cultura e pela mídia.
A beleza está em toda parte, está em tudo.

Vejamos Deus se manifestando em tudo, o Uni se manifestando no Verso, formando o que chamamos de Universo.

Deus está em tudo, em todos, e em todas as formas.

Não há feiura no universo, só feiura em nossa mente limitada pelos condicionamentos e pelos preconceitos nascidos da ignorância.

É hora de libertação. É hora de descondicionar a nossa mente. Hora de enxergar Deus por trás das formas, por dentro das embalagens, dentro de tudo o que é visível.

Vendo Deus em tudo e em todos os seres, não mais veremos feiura em parte alguma, mas apenas beleza, a beleza da vida, a beleza das variedades das formas, a beleza da convivência com o diferente, com o novo.

É hora de amarmos intensamente a todos os seres, sem reservas e sem os condicionamentos culturais, esquecendo que somos negros, brancos, altos baixos, homens ou mulheres, chineses ou americanos, russos ou brasileiros. Somos apenas espíritos vivendo e aprendendo a arte da felicidade na Terra.

Olhemos o ser, o espírito, Deus, dentro das coisas, das formas, das pessoas, e não mais haverá discriminação nem preconceito de qualquer tipo.

Abra sua mente para Deus, e permita que Ele enxergue junto com você a Sua própria Criação.

Veja a beleza que Deus criou no Universo!

Lembre-se que você é também criação Dele, e não pode deixar de ser belo.

Todos somos belos, pois somos criações de Deus.

Veja-se belo! Sinta-se belo! E veja a beleza nos outros também!

Muita paz.
Salvador, 13 de julho de 2009 (11:07 horas)

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *