O PREÇO DA POUCA EVOLUÇÃO

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

Às vezes fico pensando em quanto custa ao todo o aparato de segurança de cada país, em termos de forças armadas, além das forças policiais, da segurança privada, dos equipamentos de vigilância, câmeras, cercas, muros, grades, cães de guarda, etc.

Só os Estados Unidos gastam cerca de um trilhão de dólares por anos com segurança, mas isso é só com as forças armadas, homens, equipamentos, armas, alimentação, vestimenta, etc.
Nesse cálculo não estão incluídos os gastos internos com segurança privada, como segurança empresarial, domiciliar, etc.

Desse modo, só os Estados Unidos devem gastam vários trilhões de dólares por ano ao todo com segurança patrimonial e das pessoas.

Quanto então será que o mundo inteiro gasta com segurança…

Seguramente o mundo deve consumir mais de 30 a 50 trilhões de dólares por ano somando forças armadas, segurança patrimonial privada, câmeras de vídeo, cercas, grades, cadeados, muros, cães, etc.

Essa enorme soma de dinheiro seria até excessiva para resolver o problema da fome e da pobreza do mundo inteiro.

Se não existissem ameaças para justificar a existência do aparato de segurança, com as forças armadas e as polícias, se não existissem ladrões, criminosos, estupradores, pessoas violentas a invadir lares, etc, ninguém precisaria cercar a casa com muro, cerca, grade, nem colocar cães de proteção, e não haveria necessidade de polícia, seja preventiva, seja judiciária.

Somente a ignorância espiritual do ser humano obriga as nações a manterem forças armadas, e a altos custos. Somente a ignorância e o atraso espiritual dos que vivem na Terra obriga a manutenção de polícia, de empresas de segurança, de existência de câmeras de vigilância nas casas e nas empresas, e hoje também nas ruas, pontes, viadutos, aeroportos, etc.

Se todos fossem mais evoluídos, e ninguém sentisse necessidade nem vontade de tomar o que é do outro, nem de agredir o outro, as casas e edifícios residenciais não teriam cercas nem muros, nem grades, nem cadeados. As casas não teriam janelas com grades, parecendo presídios.

Hoje o cidadão de bem vive cercado, fechado em casa, gradeado, gastando muito para se sentir seguro, e os bandidos estão livres nas ruas.

A criminalidade não para de crescer nos países menos desenvolvidos.

O desemprego, os baixos salários, a vida difícil leva algumas pessoas a colocarem para fora o que há de pior dentro delas.

Todavia, a pobreza não justifica os crimes. E nem todo pobre ou miserável entra na vida do crime.

Somente os espíritos mais fracos usam como desculpa a pobreza para exteriorizar sua tendência criminosa.

Na verdade, os espíritos já nascem com as tendências, boas ou más. E o ambiente e as condições de vida apenas ativam a memória espiritual do ser atrasado.

Há pobres honestos, mansos e pacíficos, e há ricos violentos, viciosos, que entram também para a vida do crime.

Os corruptores no Brasil, por exemplo, que compram as consciências de políticos venais, são os empresários, e muitos deles nasceram em “berço de ouro”, nunca tendo passado fome, mas são muitas vezes espíritos ainda muito presos à ambição desmedida.

Tanto corruptos quanto corruptores são ambiciosos, gananciosos, inescrupulosos, desonestos, fraudadores, e possuem as piores tendências. São ainda espíritos imaturos, afeitos ao mal, e a tudo o que não presta.

No dia em que os espíritos deste planeta evoluírem realmente, as cidades serão morada de felicidade, com edifícios sem muros, sem cercas nem grades. As empresas poderão ficar fechadas durante a noite sem vigilantes, câmeras ou cães. Ninguém terá medo de sair às ruas, nem mesmo de noite.

Não haverá polícia nas ruas, e as pessoas não se sentirão ameaçadas umas pelas outras, como seres que vivem em uma selva, onde impera a lei do mais forte. O homem não mais será o lobo do próprio homem.

Mais evoluídos, e sem os gastos com segurança, não mais haverá fome e pobreza no mundo.

Viveremos no mundo sonhado por Jonhn Lennom, sem fronteiras, sem divisas, sem países, sem exércitos, sem polícia.

Assim é o mundo espiritual acima da Terra, e não precisamos nem falar nas cidades mais evoluídas.

Cidades como a famosa Nosso Lar, que ainda fica na zona inferior do astral, perto da crostra da Terra, já vive em paz, sem polícia, sem muros, sem cercas, sem cadeados, sem medo de assaltos, de agressões, etc.

Precisamos evoluir, deixar para trás nosso egoísmo, nossa ambição exagerada, nossa agressividade, nossa vaidade, nosso orgulho.

Mais evoluídos, seremos muito mais felizes, tanto no mundo espiritual, depois da morte física, quanto na própria Terra física.

O custo da ignorância espiritual, do atraso espiritual, em termos só de segurança é absurdo, e há ainda outros custos, como da área de saúde, com adoecimento motivado por desequilíbrios emocionais, psicológicos, pela má alimentação, e pelo excesso de alimentação, pela obesidade.

Somos ainda infelizes por causa de nossa pouca evolução.

O preço de nossa pouca evolução é muito alto.

A Terra é um planeta maravilhoso, uma dávida de Deus para a humanidade, e para todos os seres que aqui habitam.

Infelizmente nós ainda não sabemos conviver pacificamente; não conseguimos ainda amar os outros como a nós mesmos, como pregou Jesus; não conseguimos ainda respeitar o que é diferente de nós, seja na aparência física, porque pertence a outra raça, a outra etnia, seja porque seus costumes e gostos são diferentes, sua cultura é diferente da nossa.

Ainda não conseguimos amar o diferente, respeitar o diferente como ele é, aceitando-o integralmente, e disso nasce o racismo odioso, a discriminação de todo tipo.

Precisamos evoluir, mas evoluir de verdade.

Mudar nossa consciência, nossa maneira de pensar e de ver o mundo e as pessoas.

Vamos reduzir esse absurdo custo de nossa ignorância espiritual.

Vamos baixar o gasto com segurança, deixando de ser uma ameaça para o outro.

Diga não às armas, mas não seja uma ameça, para não justificar o ato do outro de adquirir uma arma, porque haveria nisso uma incoerência e uma contradição.

Sejamos mais simpáticos, mas bem-humorados, mas risonhos, levando apenas bom astral e boas energias para as pessoas.

Sejamos luz no mundo que ainda navega na escuridão.

Não sejamos a escuridão, nem as sombras.

Sejamos paz entre os homens, sempre pronto a ouvir, a ajudar, a aconselhar, a tentar conciliar os litígios de todos os tipos, em toda parte, a todo tempo…

Tudo isso parece utopia, mas todas as coisas boas e fantásticas que o homem criou um dia foram consideradas utopia, como ir ao espaço e falar por telefone celular com um amigo que está agora do outro lado do planeta instantaneamente.

É preciso sonhar, acreditar nos sonhos, e trabalhar pela sua concretização. Um dia o sonho poderá se tornar realidade…

Muita Paz.

Salvador, 25 de junho de 2009.
Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *