CHAMINÉS HUMANAS

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

Acabo de assistir a uma cena triste, em frente ao colégio de meu filho caçula, enquanto esperava ele terminar uma prova.
Estava dentro de meu carro, ouvindo um CD de Vangelis, e lendo a revista Psique, e percebi que um pouco mais a frente havia um casal de meia-idade conversando, e fumando.
Os dois aparentavam muita tensão, principalmente o homem, de cabelos prateados e abdomem proeminente, demonstrando uma vida sedentária.
Ele estava fumando, e ela também.

Enquanto conversavam, o cigarro ia diminuindo, e ele acendia outro imediatamente, usando o finalzinho de um para acender o próximo. Em poucos minutos, foram três cigarros seguidos, sem qualquer intervalo entre eles.
Há muito tempo não via isso.

Depois de fumar três cigarros, o homem parecia diferente, sorrindo, alegre, e a mulher também parecia mais relaxada.
Em poucos minutos saiu uma menina da escola, que foi abraçada pelos dois, e seguiram andando. Pareciam ser avós da garota.
Enquanto observava os fumantes, principalmente o homem, que tinha entre 55 e 60 anos, creio, fiquei pensando nas drogas.

Costumamos falar em drogas apenas em relação àquelas que são ilícitas, como a maconha, o crack, a cocaína, etc, e não lembramos que o tabaco e o álcool também são drogas, que fazem muito mal ao corpo também, e que viciam, e matam.
O álcool causa dependência química tanto quanto a cocaína, e causa acidentes, destrói vidas, causa prejuízo material, e leva muita gente a cometer crimes, muitas vezes por motivos banais, depois de uma discussão tola estando embriagado.
O cigarro, feito de tabaco, mas processado e acrescido de inúmeras outras substâncias venenosas, também vicia, também causa dependência química, tanto que muita gente precisa fazer tratamento para deixar o vício.

Além da dependência química, por causa, sobretudo, da nicotina, o tabaco envenena o sangue, e causa vários tipos de câncer no organismo, na maioria das vezes no pulmão, no estômago, no esôfago, na laringe e em outros lugares.
Causa ainda efisema fulmonar, tosse, rouquidão, além de outros males.
São mais de 4.500 substâncias tóxicas existentes no cigarro.

As pessoas que fumam ouvem falar na TV dos melefícios do fumo, mas não têm nenhuma consciência real do mal que estão fazendo ao seu corpo.
Hoje já não parece tão elegante a pessoa fumando, sugando e depois soltando a fumaça de odor desagradável para a maioria das pessoas.
Por isso grande parte dos países já proibiu o fumo em ambientes públicos fechados, como repartições públicas, restaurantes, shoppings, aviões, escolas, etc, e nesse aspecto o Brasil está na vanguarda.
Fumar já não é chique! Já não dá charme!
Fumar, hoje, é sinal de atraso consciencial, de desrespeito com seu próprio corpo físico, de desrespeito com o meio ambiente e com os demais, a maioria não fumante.
Infelizmente algumas pessoas ainda precisam das substâncias do cigarro, como a nicotina e o alcatrão, para se acalmar, para se sentir seguro, se sentir ativo, inteligente, eufórico, desinibido, etc.

O mesmo se dá em relação ao álcool, sendo que neste caso a proporção é gigantesca.
A sociedade em peso é viciada em álcool, apesar de a maioria dizer que “bebe socialmente”.
O que é beber socialmente? É se embriagar em conjunto, com a turma?
As pessoas bebem porque precisam beber! Fumam porque precisam fumar! Tomam outras drogas ilícitas porque precisam dessas drogas!
Quem reflete verdadeiramente sobre a sua “necessidade” de beber, de fumar, ou de tomar outras drogas alucinógenas?
Por que fumar? Por que beber álcool? Por que cheirar cocaína? Por que fumar crack? Por que fumar maconha?
Por que precisamos dessas substâncias para nos acalmar, nos sentir seguros, ou nos sentir felizes?
Será que existe um vazio dentro de nós que nos impele a tentar preenchê-lo com substâncias químicas externas?
Que vazio será esse?

Um vazio existencial? Uma falta de sentido para a vida?
Será que as drogas, sejam licitas ou ilícitas, o que não tem diferença real, são capazes mesmo de preencher algum vazio dentro de nós?
Será que estamos tentando, consciente ou inconscientemente, fugir de algo? Estamos fugindo de nós mesmos?
Insatisfação, infelicidade, desgosto, desamor, o que está nos levando a buscar uma ponte para aliviar a nossa dor interior, e a tentar lavar a nossa alma?
Está chegando a hora da consciência! A hora do despertar! A hora da reflexão! A hora de procurar verdadeiramente as causas de nossas dores, de nossas insatisfações, de nossa infelicidade! A hora de enfrentar a verdade, e parar de fugir dos outros, de fugir da vida e principalmente de fugir de si mesmo!
Por que ficar enchendo os fulmões de uma droga lícita que vai nos matar aos poucos? Tendência suicida inconsciente?
Beber por quê? Para afogar o quê? Para fugir de quê?

Até quando viveremos fugindo?
A hora é de conscientização!
A cada vez que você acender um novo cigarro, lembre desse texto!
A cada gole de bebida alcoólica que ingerir, lembre desse texto!
Reflexão! Consciência!
O corpo é o nosso veículo de aprendizado nessa dimensão material! Destruí-lo por mera diversão ou passatempo gerará um compromisso cármico e teremos que dar conta futuramente do que fizemos do corpo!

Vamos crescer! Vamos nos libertar dos vícios antes de partir para a outra dimensão de vida, para não ficarmos presos a esta dimensão depois da morte física tentando levar a mesma vida de encarnado, e deixando de aproveitar as delícias do mundo espiritual!
Reflexão!
Muita Paz.

Salvador, 15 de maio de 2010.
Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *