A DIFAMAÇÃO DE JESUS

Print Friendly, PDF & Email
5 (100%) 1 vote

Jesus foi sem dúvida nenhuma um homem incomum, extraordinário, que exerceu uma grande influência sobre a humanidade.
Ninguém é mais citado do que ele, nem tem a biografia mais escrita depois de dois mil anos de morto.
Jesus não pregou guerra, revolução, ódio racial, nem nenhum tipo de discriminação.

Pregava o amor ao próximo, mesmo aos inimigos, o perdão incondicional quantas vezes fosse necessário.
Trezentos anos depois de sua morte, os homens criaram uma igreja com poderes imensos, e mais tarde, séculos depois, essa igreja perpetrou diversos tipos de crime, principalmente após a criação do Tribunal do Santo Ofício, dando nascimento à Inquisição.
Não foi Jesus quem cometeu os crimes da igreja! Ele era contra até o apedrejamento!

Séculos mais tarde, temos visto um processo permanente de difamação de Jesus, como nunca antes visto.
As mais recentes “teorias” envolvem o casamento entre Jesus e Maria Madalena.
Livros foram escritos sobre isso, e o mais famoso é O Código Da Vince, que acabou virando filme.
A ideia parece não ser original, e o autor desse livro está sendo processado por uma mulher que se diz a verdadeira criadora da ideia.
O livro e o filme, juntos, têm influenciado milhões de pessoas, que então passam a acreditar na estória, não história, do livro, na “teoria”, mas ela sequer tem fundamento histórico real.
Além de não existir base histórica, nem prova documental sobre a “teoria” do casamento ou da relação amorosa entre Jesus e Maria Madalena, é estranho, e mesmo suspeito o fato de não fazerem a mesma coisa com Pedro, com João ou outros apóstolos de Jesus, ou com João Batista.

Tanto na Índia, no Egito, em Israel, como em outros países antigos também, era comum, era tradição, os mestres, os sacerdotes, os gurus, não se casarem.
Isso não era incomum! Isso não era exceção, mas a regra geral!
Nunca li livros sustentando que os profetas Elias, Zacarias, Isaías e outros eram casados! Os profetas não se casavam! Essa era a tradição!
Nunca li livro sustentando uma teoria a respeito do casamento secreto ou caso amoroso de João Batista.
Nunca li livro defendendo que Buda se casou depois de sua iluminação aos 35 anos, ou que teve um grande amor, ou uma esposa secreta depois dos 35 anos.
Buda foi casado antes, com Yasodara, e teve com ela um filho, mas abandonou tudo e saiu pelo mundo, até se iluminar, e pregou até os 80 anos, quando morreu.
Ninguém defende que Buda tinha uma esposa depois de iluminado!

João, o apóstolo, que escreveu um dos evangelhos e o livro O Apocalipse, nunca se casou, pois virou discípulo de Jesus muito jovem, e morreu, segundo a tradição, com cem anos ou mais.
Ninguém sustenta que ele se casou, ou que tinha uma esposa secreta.
O mesmo se diga de Pedro depois que virou apóstolo!
Por que será que somente criam “teorias” acerca do casamento de Jesus ou de uma relação amorosa entre ele e Maria Madalena?
Qual o objetivo disso? O que estaria por trás disso?

Sem querer criar mais uma teoria conspiratória, pois isso não é do meu feito, vejo há anos um movimento de difamação de Jesus, intencional, deliberado, mas nem todos que escrevem essas coisas têm plena consciência de que são influenciados, de que são médiuns de seres desencarnados que trabalham contra Jesus, esse ser que só falava de amor, que só pregava amor, que vivenciava o amor em toda a sua plenitude.
Há uma onda difamatória movida pelas trevas para desacreditar Jesus, e para mostrar ao mundo que ele era um homem comum, normal, igual aos outros, e para isso precisam mostrar que ele fazia sexo, se casou, ou tinha uma amante secreta.

Não é que o sexo seja algo errado, pecaminoso, sujo, etc.
Muito pelo contrário, o sexo é divino!
No livro Gênese, da Bíblia, está escrito que Deus mandou o homem crescer e se multiplicar, e não há como se multiplicar sem sexo!
Não existiam inseminação artificial nem clonagem naquele tempo!
O sexo é ainda a forma normal de procriação na Terra!

Assim, não pode ser pecado, nem imoral, nem sujo, etc. O erro está apenas nos desvios de função da sexualidade.
Todavia, a tradição de muitos países levava os sacerdotes religiosos, os mestres, os gurus, etc, a abrirem mão do casamento, do sexo, para seguirem o caminho espiritual.
Buda largou a família e abriu mão do sexo para buscar a iluminação.
Os profetas antigos de Israel, como Isaías, Zacarias e Daniel não eram casados!
João Batista, contemporâneo de Jesus, não se casou, e vivia sozinho no deserto.
Francisco de Assis largou a riqueza e a família para se dedicar aos pobres, e ninguém jamais escreveu que ele tinha um caso secreto, ou uma esposa.
Jesus, como tantos outros, escolheu o caminho da pregação, largando tudo para sair pregando e curando os doentes, e por isso não podia ser casado.
Nenhum de seus apóstolos tinha esposa durante o tempo em que seguiu Jesus.

Existe uma campanha que vem lá de baixo, do submundo do mundo espiritual, de difamação de Jesus, tentando mostrar que ele era casado com Maria Madalena, e que tinha um caso com ela, para que as pessoas, vendo Jesus como seu igual, um homem comum, não dê a mesma importância ao que ele representou, nem ao que ele falava.
Isso funciona! Tem funcionado! Muita gente tem sido influenciada por esse movimento de difamação, e vê no livro e no filme O Código Da Vince uma verdade!
Tentam associar Jesus aos crimes da Igreja Católica!
Jesus não criou a Igreja Católica, nem criou o Vaticano poderoso que é hoje!
Jesus não fez a inquisição! Não queimou ninguém! Não acusou ninguém de bruxaria para tomar os bens!
Não haveria nenhum mal em Jesus ter sido casado com Maria Madalena!
Todavia, a estória ou “teoria” de sua relação amorosa com Maria Madalena tem uma finalidade que nem todos percebem!
Tudo visa modificar a visão que as pessoas têm de Jesus!

Se ele se casou, e teve até filho, ele era um homem igual a todos os outros, e então a importância do que ele falava não será mais a mesma!
Essa é a finalidade sutil da difamação e da onda de descrédito relativamente a Jesus.
Como vemos as coisas que acontecem lá embaixo, nas trevas, sabemos do movimento de difamação movido contra Jesus, exatamente nestes momentos em que a humanidade passa por um processo de limpeza, de separação do “joio” e do “trigo”, com a aproximação do grande exílio, o Juízo Final na Terra, não o seu fim, não a sua destruição.
É preciso estar atento a toda essa campanha de difamação contra Jesus! E não entrar na onda, por modismo!
Virou moda atacar Jesus!

Até em relação aos estudos do Santo Sudário aconteceram fatos curiosos e estranhos, que podem ter sido mesmo propositais, como, por exemplo, a retirada de pedaço costurado ao tecido principal por volta do século XIII, por freiras, depois de um incêndio que queimou parte do Sudário, para fazer o teste do Carnono 14, e encontrar uma datação incompatível com a época em que viveu Jesus, e mostrar que o tecido é fraudulento.

Será que ninguém percebeu na hora que o pedaço cortado não era original, mas um pedaço costurado a ele?
O único teste de Carbono 14 feito até hoje foi realizado justamente em um dos pedaços costurado ao Sudário? Por quê?
Há um movimento que vem de baixo para cima, das trevas para crosta, influenciando pessoas a agirem de modo a diminuir cada vez a importância de Jesus, e com isso diminuir a sua influência sobre a humanidade.

As trevas não querem essa influência positiva, e por isso trabalham na difamação, e muita gente entra nesse jogo, e acredita em tudo o que lê, mesmo sem pesquisar e sem se perguntar se há respaldo histórico e documental que ampare a veracidade das “teorias” esdrúxulas que surgem de tempos em tempos, como a do casamento de Jesus com Maria Madalena e da existência de descendentes vivos deles.
Vamos ficar atentos a esses ataques à pessoa de Jesus, que só pregou o amor e o perdão!

Muita Paz!
Salvador, 17 de outubro de 2010.
Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *