O MUNDO ESTÁ FICANDO PIOR?

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

Ouço de vez em quando algumas pessoas dizerem que o mundo está ficando cada dia pior para se viver, demonstrando com isso um negativismo e um pessimismo que me incomoda ainda, e tento mostrar a essas pessoas que isso não é verdade, e busco convencê-las do contrário.
Voltando um pouco no tempo, uns sessenta anos, ou seja, ao ano 1950, antes de meu nascimento, ainda não existia televisão no Brasil, e na maior parte do mundo. Os meios de comunicação naquele tempo eram jornais e rádio, sendo que nem todos ouviam rádio, e nem todos liam jornais.

Naquele tempo já aconteciam crimes, havia já corrupção, e muita, e havia muito mais guerras pelo mundo afora, mas aqui no Brasil não se ficava sabendo de tudo o que acontecia pelo mundo.
Nem todas as coisas ruins que aconteciam no Brasil e no mundo eram noticiadas, e nem todos ficavam sabendo das notícias.
A falta de informações sobre os crimes dava uma maior sensação de segurança às pessoas, pois não se sabia muito acerca dos crimes diários nas cidades.
Hoje, no ano 2010, temos no Brasil inúmeras emissoras de TV, inúmeros jornais, inúmeras revistas semanais com grande parte de matéria de cunho jornalístico, inúmeras rádios, tudo em grande quantidade, sem falar nos meios de comunicação na internet, tudo prestando informações diárias, semanais, e muitas vezes instantâneas.

Hoje, um crime cometido pela manhã já é notícia nos telejornais do meio-dia, e instantaneamente já estão divulgados na internet, em sites de notícias.
Há um fator que sempre chamo a atenção, e que nem todos se dão conta. Os meios de comunicação (a mídia) vendem muito mais dando notícias ruins, estrondosas, escandalosas, como crimes hediondos, assaltos com morte, sequestros, assassinatos, escândalos de corrupção, guerras, atentados terroristas, etc. E por isso essas notícias são mais divulgadas, e normalmente as manchetes de revistas e jornais são chamativas com notícias ruins.

Os telejornais já abrem com chamadas de assaltos espetaculares, assassinatos, escândalos de corrupção, ameaça de guerra, atentados terroristas, etc. Porque as pessoas se impressionam e ficam ligadas na TV ao ouvirem tais notícias.
Para cada dez notícias ruins, há uma boa. Podem reparar. E por isso algumas pessoas dizem, e com razão, que os telejornais hoje “espirram sangue”, ou que “se espremer o jornal sai sangue”, etc.

Saio nas ruas diariamente em Salvador, vou a São Paulo com certa frequência, ou ao Rio de Janeiro, e nunca fui assaltado na rua, ou em shopping, ou em restaurante. Conheço pouca gente que foi assaltada dessa forma.
Não quero dizer que isso não acontece, ou que não existe. Não é isso! Apenas quero dizer que as ruas não estão dominadas pelos criminosos, pelos bandidos, que as cidades estão nas mãos dos bandidos, etc, como muitos falam.
Outra coisa que as pessoas não falam, e não se dão conta, pois estão presas apenas aos jornais sanguinolentos, é que muitas coisas boas estão acontecendo nas cidades diariamente, e em quantidade muito superior aos assaltos, aos assassinatos e acidentes de trânsito.

Se você pegar agora mesmo um jornal de grande circulação de sua cidade verá que estão acontecendo congressos maravilhosos, sobre coisas importantes para a sociedade, seminários, encontros, eventos religiosos, palestras fantásticas, etc, e você não participa de nada disso. Fica apenas em casa assistindo na TV apenas as notícias ruins e deprimentes.
Ontem devem ter morrido em Salvador umas quatro pessoas de forma violenta talvez, como de costume; devem ter ocorrido alguns assaltos, alguns acidentes de trânsito, e algumas outras coisas ruins devem ter acontecido por aqui na minha cidade. Mas quantas coisas boas aconteceram? Quantas palestras excelentes em centros espíritas, na Ordem Rosacruz, na Sociedade Teosófica, quantas pregações maravilhosas devem ter havido nas igrejas das diversas religiões, quantos seminários, quanta caridade foi praticada nesta cidade nas entidades de cunho religioso, místico, etc?

Essas coisas não são divulgadas pela mídia! E por quê? Porque não vende! E por que não vende? Não há quem se interesse em comprar jornais, revistas ou assistir um telejornal falando dessas coisas? Será mesmo? É uma boa reflexão para nós!
Há muito mais coisas boas acontecendo agora em sua cidade, como também na minha, do que as coisas ruins que estão agora sendo noticiadas na mídia de todos os tipos.
Às vezes chamo a mídia sanguinolenta de imprensa “vampira”! Porque gosta de sangue!

Talvez nós sejamos meio vampiros também, pois compramos os jornais sanguinários, as revistas sanguinárias, assistimos os telejornais sanguinários, etc.
Nós alimentamos essa mídia “vampira”, e ela por sua vez nos alimenta! Há um conluio, há uma simbiose, na qual cada um dá ao outro o que o outro gosta! Nós nos alimentamos mutuamente!
Quando olhamos para trás, em termos de guerra, vemos que o mundo até o século 19 não ficava dez anos sem ter uma guerra, por menor que fosse, em algum lugar.
No século 20, tivemos duas grandes guerras mundiais, uma entre 1914 e 1918 e outra entre 1939 e 1945. E tivemos guerras menores, e localizadas, como a guerra da Coréia, a guerra do Vietnam, a guerra da Bósnia e algumas outras menores, além de revoluções como a da Rússia em 1917, a da China em 1949 e a de Cuba em 1959, e algumas guerrilhas, como a de Angola.
O Mundo tem armas nucleares, atômicas, desde 1945, e muitos países hoje a possuem, até a Índia e o Paquistão. Mas somente duas bombas atômicas foram lançadas até hoje em cidades, matando seres humanos, e isso foi no longínquo ano de 1945, no Japão, nas cidades de Hiroshima e Nagasaki, pondo fim à Segunda Guerra Mundial, com a rendição do Japão.
Acaso essas armas tivessem sido inventadas antes, até a Idade Média, quantas bombas atômicas já não teriam sido lançadas sobre o país inimigo?

A criação de organismos internacionais como a Liga das Nações, da ONU e da OTAN já impediram muitas guerras nos últimos 90 anos! E isso foi um grande avanço da civilização!
A ONU já fez intervenções em vários conflitos, pondo fim a ele, ou impedindo que ele começasse, mesmo usando a força, mas com isso impediu muito mais mortes, o que também a OTAN fez, como na Bósnia, onde havia um massacre étnico no final do século 20.
Tratados internacionais, acordos internacionais, cortes internacionais para julgar crimes contra a humanidade. Nada disso existia há cem anos.
Hoje, se uma nação ameaça outra, a ONU intervém, inicialmente com sanções econômicas, e depois, se preciso for, com o uso da força, e com isso evita conflitos maiores e mais sérios.
Não há ainda organismos internacionais perfeitos, totalmente isentos de influência política, mas eles estão se aperfeiçoando cada vez mais, e hoje a sua existência é muito melhor do que antes de eles existirem. Isso é inegável!

A tirania, as “limpezas étnicas”, os genocídios, as invasões de territórios, etc, estão diminuindo a cada dia mais no mundo, pois hoje a mídia está em toda parte, com câmeras escondidas filmando tudo, as pessoas possuem aparelhos celulares que filmam e já enviam pela internet instantaneamente, há satélites espiões, etc, e tudo isso serve para inibir cada vez mais as ações desumanas pelo mundo. Isso é bom!
Em grande parte da Europa, principalmente nos países mais equilibrados social e economicamente, os índices de criminalidade são tão baixo que a nossa mídia nem noticia nada de lá.
O nível de vida, a qualidade de vida em países como Noruega, Canadá, Finlândia, Islândia, França, Inglaterra, e tantos outros hoje é uma coisa maravilhosa de se ver.
Não vemos mendigos pelas ruas nesses países, salvo uns raros, e normalmente imigrantes.
A medicina avançou imensamente no mundo no século 20, e continua avançando e salvando vidas, e aumentando a expectativa de vida do homem.
Doenças bobas que matavam há cem anos não assustam mais.

Vacinas foram e continuam sendo criadas, impedindo a paralisia infantil e tantas outras doenças hoje quase totalmente erradicadas no mundo.
Os psicopatas, ou portadores do Transtorno de Comportamento Antissocial, hoje são apenas 4% no mundo, segundo pesquisas, e dentre eles apenas 1% é composto pelos criminosos violentos, dentre os quais alguns raros se tornam um Serial killer. São uma minoria muito pequena dentro da sociedade humana. Isso era muito mais grave há 500 anos, há 2.000 anos, etc. Quanto mais para trás, provavelmente mais gente tinha um comportamento que hoje seria considerado psicopata, pois a sociedade era muito mais injusta e “promovedora” desse comportamento antissocial.
A educação se popularizou muito no mundo em cem anos. Hoje grande parte das crianças, adolescentes e jovens estão nas escolas.
As cidades hoje possuem água encanada, sistema de esgoto, luz elétrica, ruas asfaltadas, sistema de transporte público, com preços diferenciados para idosos e estudantes, polícia, governos organizados, sistema de saúde gratuito, sistema de coleta de lixo, concurso público, etc.

Mesmo que se diga que nada disso é perfeito, e concordo plenamente, é preciso pensar que há cem anos as coisas eram muito piores.
Não faz muito tempo que nós carregávamos água, fazíamos as necessidades em pinicos durante a noite, deixando-os debaixo da cama, ou tínhamos que sair de casa para irmos ao quintal para usar o banheiro. E usávamos luz de vela, de candeeiro ou de lampiões, tomávamos “banho de cuia”, ou em banheiras, lavávamos todas as roupas à mão, na beira do rio, viajávamos do Rio a Salvador a cavalo ou carruagem levando uma semana ou mais tempo. Ou íamos da América à Europa de navio em uma semana.
Hoje pegamos um avião do Brasil até a Índia, ou ao Egito, e no dia seguinte estamos lá.
Vamos de Salvador a São Paulo em apenas duas horas de voo!

Temos centros de loja fantásticos nas cidades grandes, os grandes shoppings centers, onde encontramos quase tudo, sem maior perda de tempo!
Temos TV a cabo, computador em casa cada vez mais veloz, com internet sem fio, via rádio, telefone celular, automóvel, metrô, avião, polícia e justiça, ainda que ainda não tão eficientes como se faz necessário. Mas há cem anos tudo era muito mais precário, acredite!
O mundo está hoje muito melhor para se viver, para se criar filhos, se compararmos com a Idade Média!

A possibilidade de um ditador megalomaníaco, psicopata mesmo, invadir ou bombardear o seu país para anexar o seu território hoje é remota! Lembre-se que Hitler em 1938 iniciou a fazer isso e ninguém o impediu, e ao final da Segunda Guerra 60 milhões de pessoas havia morrido!
Hoje quando há um acidente de carro numa rua, em poucos minutos chega uma ambulância da Samu, e isso é uma realidade que vejo em minha cidade diariamente. Pense num acidente de carro em 1930. Quanto tempo levaria para alguém ser socorrido? Pense num acidente de cavalo em 1789. Que socorro haveria?
No tempo dos duelos a espada, quem fosse furado podia morrer em poucos minutos ou em poucas horas. Hoje até os bandidos e policiais baleados em confrontos são levados ao pronto-socorro com muita chance de sobrevivência. A transfusão de sangue faz maravilhas! Isso é muito recente no mundo!

Não nos deixemos envolver pela onda pessimista!
Abra os olhos e a mente e estude história para ver o quanto a humanidade e a sociedade melhoraram!
O mundo hoje é infinitamente melhor para viver!
As pessoas não saem mais à rua com armas na cintura à mostra, como nas cidades do oeste americano, como vemos nos filmes de cowboy.
Já não levamos mais espadas na cintura, ao sairmos para as ruas, como na antiguidade.
Hoje é muito mais provável que você volte para casa depois do trabalho do que há cem anos!
Deixemos de ficar tristes e deprimidos após o telejornal, e não assistamos todos os dias esses telejornais sanguinolentos.
Vamos olhar as coisas boas acontecendo ao nosso redor em nossa cidade!

Pessoas boas estão fazendo palestras abertas e gratuitas sobre coisas boas; pessoas de bom coração estão fazendo muito mais caridade e praticando boas ações do que os crimes que os desajustados estão cometendo na sua cidade no mesmo momento.
Há muito mais coisas boas acontecendo, só que o mal é ruidoso, enquanto o bem é silencioso. E a mídia não tem interesse em divulgar as coisas boas, porque isso não dá IBOPE! E a culpa disso é nossa, que ainda perdemos tempo assistindo ou lendo as coisas ruins e depois vamos contagiar a todos com o nosso pessimismo dizendo que “o mundo está cada vez mais violento”, e que “por isso não vamos colocar filhos no mundo”, etc.
Otimismo! O mundo não está ficando pior!

O mundo está ficando cada vez melhor! E ainda pode ficar melhor! Só depende de nós!
Muita paz.

Salvador, 08 de julho de 2010.
Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *