LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

Vi há alguns minutos atrás, em um supermercado, a capa de uma revista feminina com uma chamada de reportagem com uma mulher famosa em que ela diz que “devemos deixar de lado a moralidade e legalizar as drogas”.

Não comprei a revista, mas, diante da chamada na capa, nem precisava, para saber o contéudo da matéria, e o pensamento da famosa.
Talvez ela tenha lido algo sobre a Holanda, ou ido lá, e achado legal como as drogas são vendidas em alguns bares, que servem maconha em bandeja.
Todavia, ela certamente não levou em conta as diferenças econômicas, sociais e culturais entre a Holanda e o Brasil.
Algumas pessoas defendem a legalização da maconha para poderem comprar a droga mais barata. Outras, pensando que isso vai diminuir a violência nas cidades.
Pode ser que as drogas sejam de fato barateadas com uma legalização. Mas que efeito isso produziria em nossa sociedade?

Drogas mais baratas significa maior consumo, mais viciados, mais gente abandonando as escolas e os empregos, necessidade de mais clínicas para tratamento de viciados e dependentes químicos, etc, o que implica em mais gastos para o Estado, e prejuízo familiar e na economia do país.
Vemos o que o álcool, uma droga lícita, que vicia, faz com muita gente, que se torna alcoólatra, abandonando escola ou emprego, agredindo familiares, envolvendo-se em brigas sem sentido nos bares e casas noturnas e cometendo crimes banais, sem falar no alto índice de acidentes de trânsito nas cidades e estradas.
O estrago que o álcool faz é enorme! Isso é real e está nas estatísticas!

No entanto, o álcool não causa alucinações como a maconha, a cocaína, a heroína, o crack e outras drogas.
Quando alguém coloca para dentro de seu corpo alguma droga alucinógena, os efeitos são totalmente imprevisíveis.
Muita gente já se jogou da varanda do seu apartamento achando que era um pássaro, ou que podia voar.
Já ouvi relato de gente que bateu de frente com seu carro em um caminhão achando que ele era um grande morcego.
Uma pessoa drogada pode ver em outra pessoa um monstro, e atirar nela, ou bater-lhe, de modo a tirar uma vida e terminar na prisão.
As drogas, de um modo geral, e aí também se inclui o álcool, têm o efeito de exteriorizar o que a pessoa tem dentro de si. Desse modo, uma pessoa violenta normalmente se torna ainda mais violenta drogada ou alcoolizada. Uma pessoa calma dificilmente vai ficar violenta drogada ou alcoolizada.

Bebi bastante na adolescência e juventude, e como sempre fui calmo, sereno, tranquilo, nunca fiquei violento ou agressivo alcoolizado. Nunca briguei alcoolizado. Apenas ria muito, sempre.
Conheço gente que já possui muita agressividade e que quando bebe fica ainda mais agressiva.
Acho que as drogas não mudam as pessoas. Elas apenas ajudam a exteriorizar aquilo que as pessoas são por dentro, de verdade.
Voltando então para a questão da legalização das drogas, precisamos pensar que o Brasil não é igual à Holanda.
Na Holanda não há pobreza, muito menos miséria.
Assim, lá não existe gente revoltada como aqui, por causa da miséria.
Não há muita violência na Holanda.

No Brasil, pelo contrário, ainda há muita pobreza, e também miséria.
Desse modo, há aqui muita gente revoltada, com uma agressividade muito grande dentro de si.
Os criminosos no Brasil estão quase totalmente nas classes mais pobres. Sobretudo os crimes de furto e roubo (assalto), e ainda de tráfico de drogas.
A esmagadora maioria dos crimes que envolvem violência física no Brasil é cometida por adolescentes e jovens que nasceram na pobreza, nas favelas urbanas.
Em grande parte, os jovens quando vão assaltar fazem uso de algum tipo de droga, para terem mais coragem, para vencerem o medo, e acabam exteriorizando também a sua revolta e a sua agressividade interior, e isso termina sendo direcionado para as vítimas dos assaltos, sequestros, etc, e assim muitos desses crimes terminam em morte de alguém.
Legalizar as drogas significaria, no Brasil, facilitar a venda, a distribuição e ainda o barateamento do preço delas, e com isso mais jovens pobres teriam acesso facilitado e barato às drogas que lhes dariam coragem para usarem armas nos assaltos, e eles colocariam para fora toda a sua agressividade e revolta, e cometeriam mais crimes.
Aumentaria a criminalidade no Brasil!

Cresceria a violência em geral no Brasil!
Haveria mais brigas nos bares, nas casas noturnas, com mortes por armas de fogo, e mais violência doméstica, com brigas familiares, muito piores do que as causadas pelo álcool.
Aumentaria muito o número de acidentes de trânsito nas cidades, e também nas estradas, por causa do aumento do consumo de drogas durante as viagens de carro.
O Estado teria que investir mais em polícia, hospitais e clínicas de recuperação de dependentes químicos, e então teria que aumentar os impostos para custear tudo isso.
Por que algumas pessoas defendem a legalização das drogas?
O que elas esperam que aconteça?

Buscam elas apenas comprar suas drogas mais baratas? Ou será que elas têm a ilusão de que a legalização das drogas não mudará em nada a vida social do país?
Será que elas pensam que o Brasil é igual à Holanda?
Não se trata apenas de questão de moralidade, nem mesmo de falsa moralidade. Trata-se de questão social, médica, e da felicidade geral da sociedade.
Por que não pregam essas pessoas o desapego e a transformação dos viciados em relação às drogas?

Será que esses que defendem a legalização das drogas não são viciados que não conseguem deixar o vício, e por isso querem que todos usem e se viciem também? Ou será que há outra questão também por trás, uma manipulação sutil, espiritual, com a intenção de desestabilizar ainda mais nossa sociedade com as drogas facilitadas?
Sabemos como os seres poderosos das trevas tramam incansavelmente para dominar o mundo, e isso inclui as drogas no seu cardápio de opções estratégicas.
Então, a legalização seria, sim, de interesse das organizações trevosas que estão manipulando as organizações de traficantes encarnados.
Como muitos artistas “vendem a alma ao Diabo” para ficarem famosos e ricos, não é difícil imaginar o nível de manipulação que muitos deles sofre para influenciarem os encarnados.
Os nomes famosos, os rostinhos e corpinhos belos conhecidos, tudo isso facilita para que a vontade dos seres das trevas chegue até nosso plano, e influencie muita gente.
Basta vermos os famosos na televisão dançando e cantando e incentivando as pessoas a beberem, beberem, e berem sempre e cada vez mais, e cinicamente no final a propaganda diz muito rapidamente, quase não dando para entender: “Beba com moderação”.

Se as drogas forem legalizadas, em breve tempo veremos artistas famosos, e atletas famosos na televisão fumando um cigarrinho de maconha e dizendo “O fininho que satisfaz”, ou “Com…ao sucesso”, ou ainda “Gosto de levar vantagem em tudo, certo?”.
Veremos famosos cheirando cocaína em propagandas e dizendo “Seja feliz você também!”, ou “Você não sabe o que está perdendo”.
Seria uma tragédia para a sociedade brasileira a legalização das drogas como pessoas inconscientes, irresponsáveis, viciadas ou manipuladas pelas trevas estão pregando.
Se um dia você tiver que votar em um plebiscito pela legalização ou não das drogas, diga NÃO!

Pense sempre nas consequências de uma legalização das drogas em uma sociedade desigual, com muitos pobres querendo “subir na vida” rapidamente, e que por causa disso muitos vão cometer crimes, e as drogas lhes darão mais coragem para assaltar, sequestrar, matar, tudo friamente, com o efeito “mágico” das drogas.
Diga sempre NÃO às drogas!
Muita Paz.

Salvador, 14 de novembro de 2010.
Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *