MÃES S.A.

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

Sempre tive vontade de escrever sobre as mães, e estava com este título na cabeça e no meu computador há alguns dias. Acho que chegou a hora.
Minha musa inspiradora para este texto, sem dúvida alguma, é a minha mãe, Inalda.
As mães são espíritos que se dispõe a servir de canal de descida na matéria para outros espíritos, cedendo seus úteros temporariamente, que se tornam câmaras reencarnatórias.
A cada gestação, elas veem seus corpos incharem, ficarem pesados, causando-lhes problemas digestivos, problemas circulatórios, dores na coluna, estrias na barriga e nos seios, e muitas outras coisas, mas mesmo com todo o desconforto físico elas se sentem felizes com a perspectiva da chegada dos filhos desejados e aguardados na maioria das vezes com muita vontade e com amor no coração.

As mães são às vezes “bichos estranhos” para os homens, que não as compreendem.
As dores das contrações que antecedem o parto, seja normal ou cesariana, parecem ser muito fortes, e a dor do parto propriamente dito, normal, quando feito sem anestesia, é enorme.
Minha mãe teve nove filhos, então foram nove partos, todos normais.
Fico pensando na quantidade de dor que ela sentiu para nos trazer ao mundo.

Só isso já faz dela uma heroína, e a faz merecedora de toda nossa gratidão, todo nosso respeito e toda nossa admiração.
Mães cuidam dos filhos, na esmagadora maioria das vezes, com amor, com carinho, com desvelo, arriscando a própria vida pelos filhos, quando preciso, e deixando até de comer para dar aos filhos, o que é somatório de instinto materno de proteção às suas crias e um amor sublime de que elas são portadoras para poderem trazer ao mundo material outros seres sob suas guardas.
Enquanto muitos homens copulam com uma mulher e depois desaparecem, as mães na maioria das vezes, mesmo abandonadas pelo homem que as engravidou, levam a gravidez até o fim, e depois cuidam de seus filhos com amor enquanto viverem.
Mãe não tem prazo de validade!

Uma vez mãe, ou seja, uma vez colocado um filho no mundo, as mães se sentem responsáveis pelos filhos durante toda a sua vida.
Mesmo com 70, 80, 90 ou mesmo 100 anos de idade elas ainda tratam os filhos como se fossem crianças, e se preocupam quando eles ficam doentes, estão com problemas ou estão infelizes.
Mesmo quando morrem, ou seja, quando deixam a matéria mais densa, retornando ao mundo espiritual, as mães ainda continuam se sentindo mães, com todas as obrigações e responsabilidades.

Quantas mães permanecem no mundo espiritual acompanhando seus filhos do lado de lá, velando por eles, ajudando-os, até que eles retornem também para o mundo original.
Quantas vezes em trabalho mediúnico a espiritualidade recorre a mães de espíritos muito rebeldes para amolecerem seus corações, e esses espíritos sabem que isso funciona, e temem por isso, e até muitas vezes nos ofendem, chamando-nos de covardes, porque estamos usando as mães deles para tocar-lhes o coração. É um recurso emocional fantástico e que dá bons resultados.
É exatamente porque o amor das mães por eles, e também o amor que um dia os filhos sentiram pelas mães, toca os corações mais endurecidos, e poucos, muito poucos mesmo, resistem e não desabam no choro ao verem a mãe depois de muitos anos ou mesmo séculos.

O amor da mãe pelo filho, e também o amor do filho pela mãe não tem tempo, não tem fronteira, e é capaz de atravessar a morte e a reencarnação.
Quando me tornei vegetariano, aos 19 anos, mudando radicalmente minha alimentação, e comecei a fazer projeção astral consciente, minha mãe não entendia o que eu estava fazendo, não me acompanhou na dieta, porém me deu todo o apoio material possível.

Ela passou a comprar as coisas que eu queria comer, como soja, grão de bico, ervilha seca, lentilha e muitas outras coisas, mesmo sendo tudo isso muito caro naquela época, e fazia tudo com carinho para mim, e a minha comida era toda separada, até a salada, que não levava maionese. Ela nunca reclamou desse trabalho extra que eu lhe dava! Sou-lhe extremamente grato por todo o apoio que me deu naqueles tempos tão importantes para mim!
Minha querida mãe Inalda fazia um bolinho de soja maravilhoso, com tempero verde! Era melhor do que os bolinhos de soja do único restaurante macrobiótico que existia naquela época (1978) em Salvador.

Minha mãe me apoiou em tudo, mesmo não me entendendo, e mesmo se preocupando muito com a minha saúde por não comer carne.
Estava sempre tentando me convencer a comer alguma carne, pelo receio de me ver doente, mas nunca me forçou a isso. Ela sempre respeitou a minha escolha!
Até hoje, com 74 anos, minha mãe se preocupa demais com os oito filhos ainda vivos.
Se estivermos doentes, ela liga, procura saber de nós, e dá todo o suporte necessário para nos ajudar em tudo o que for preciso.
Minha mãe é uma super mãe!

Vejo mães que visitam seus filhos em presídios todo final de semana, quando eles se tornaram criminosos e foram condenados, demonstração de amor verdadeiro e de que elas não desistiram dos filhos mesmo quando eles se tornaram criminosos. Nem isso faz uma mãe deixar de amar seus filhos!
O amor de mãe é o verdadeiro amor incondicional!
Mãe sempre acha seus filhos bonitos, mesmo que todos os achem feios!
Mãe acha os filhos perfeitos, inteligentes, mesmo quando isso não é verdade!
Mãe aguenta tudo dos filhos, e perdoa sempre!
A minha mãe é assim!

Mãe está sempre disponível, sempre pronta para ajudar os filhos, sempre pronta a se sacrificar pelos filhos!
Mãe não dá nada aos filhos esperando receber algo em troca!
Mãe dá por dar, e pronto! Mãe se doa integralmente! Não apenas dinheiro, tempo, amor, mas até a própria alma, se preciso for!
Mãe é uma coisa estranha, diferente, divina!
Acho que mãe é a expressão mais próxima e perfeita de Deus no mundo em que vivemos!
Sacrifício, doação total, amor incondicional, cuidado, carinho, e tudo o mais que dizemos encontrar em Deus, ainda que em escala muito menor, é claro, pois não podemos igualar um ser humano a Deus.

As mães, seja no Reino Animal ou as humanas, defendem seus filhos de qualquer agressor, de qualquer predador!
Uma pequena ratinha enfrenta um grande gato ou um cachorrão para defender seus filhos!
Uma mãe humana enfrentaria o Diabo, se preciso fosse, para defender seus filhos!
Mãe é um ser especial, uma ponte entre Deus e a humanidade!

Mãe é um mestre do amor! Temos muito que aprender com as mães em geral! Eu aprendo muito com a minha mãe Inalda!
Mãe é algo sagrado, que nunca deveria ser magoada, maltratada, ferida!
Às mães anônimas de todo o planeta, meus sinceros agradecimentos por todo o ensino que me têm dado, me mostrando o quanto podemos ser amorosos, cuidadosos, o quanto podemos nos sacrificar pelo próximo, o quanto podemos nos doar, o quanto podemos ser mais divinos.
MÂES S.A. Uma sociedade de mães anônimas que fazem toda a diferença no mundo, trazendo amor incondicional a um mundo tão carente de amor verdadeiro!
Não deixe para presentear e reverenciar a sua mãe apenas um dia no ano!

TODO DIA É DIA DAS MÃES!
Um grande beijo no coração de todas as mães do mundo!
Muita Paz.
Salvador, 04 de dezembro de 2010.

Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *