DIRIGINDO EMBRIAGADO

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

Ontem pela noite, mais uma vez, vi duas notícias em telejornal sobre motoristas dirigindo embriagados e causando mortes.
Em uma delas, a notícia sobre Edmundo, motorista de futebol, que em 1995, dirigindo embriagado, provocou um acidente que matou três pessoas.
Só agora, seis anos depois, foi finalmente julgado, condenado, e o juiz determinou a sua prisão, tendo sido ele preso, mas menos de 24 horas depois foi solto por habeas corpus, para aguardar julgamento em liberdade.
A família das vitimas aguardam já há seis anos a justiça ser feita, e Deus sabe mais quanto aguardarão.
O outro caso aconteceu noticiado na noite anterior, quando um jovem de 21 anos foi filmado dirigindo na contramão de uma via de mão única bastante movimentada, em alta velocidade, e terminou atropelando e matando um motociclista.

Foi preso em flagrante e levado para a delegacia, onde prestou depoimento e foi liberado.
Deve ter sido, como sempre, indiciado por homocídio culposo, quando não há intenção de matar. No máximo será condenado, como é habitual, a um ano de prisão, mas não irá para a cadeia, pois ninguém vai nesses casos, e sua pena deverá ser tranformada em pena alternativa, quem sabe prestar serviços à comunidade. Brincar com crianças em orfanato ou coisa semelhante.
O mesmo telejornal ainda mostrou um posto de gasolina onde há uma loja de conveniência, com muitos motoristas bebendo junto de seus carros e depois entrando para dirigir, alguns ainda segurando a latinha de cerveja na mão.
Para nossa legislação penal ultrapassada, a vida humana não vale muita coisa.
As emissoras de TV divulgaram tanto a campanha da conhecida “Tolerância zero”, com as blitzs feitas com utilização de bafômetro, prisões em flagrante de motoristas embriagados, etc., mas nada disso foi capaz de inibir e conter as pessoas irresponsáveis e inconsequentes que ainda continuam bebendo e depois dirigindo, e tirando vidas.
Penso que a legislação penal deve ser alterada, para punir com mais efetividade e rigor os motoristas que são flagrados dirigindo embriagados, e principalmente aqueles que matam outras pessoas ao provocarem acidentes, o que constantemente é matéria dos telejornais.

Quantas vezes motoristas embriagados perdem o controle do carro e sobem em calçadas e matam pedestres até nos pontos de ônibus.
Atropelam pessoas nas ruas, em faixas de pedestre, invadem sinais vermelho, e cometem muitas infrações de trânsito, colocando em risco a sua própria vida e a dos outros também.
Está mais do que na hora de a sociedade endurecer, através de seu sistema penal, de sua legislação, em relação a essas pessoas irresponsáveis que bebem e depois dirigem, sobretudo as que causam acidentes e tiram vidas.

O direito é violado diariamente e não há punição adequada capaz de desestimular essas pessoas inconsequentes.
Penso que, sendo uma pessoa flagrada dirigindo embriagada, deveria ser detida, levada para a delegacia de polícia, indiciada por direção perigosa, se não tiver causado acidente, com prisão por 5 dias, sem direito a fiança, independentemente da pena prevista no Código Penal, para que essa prisão mínima por 5 dias, sem fiança, leve a pessoa a pensar duas vezes antes de repetir o mesmo ato irresponsável que colocou a sua vida e a de outros em perigo.
No caso de acidente com vítima, mas apenas com ferimentos leves, o motorista deveria ficar preso por 15 dias, sem direito a fiança também, para maior reflexão acerca de sua atitude inconsequente que quase matou outras pessoas.

Finalmente, no caso de morte de alguém, em acidente provocado por motorista embriagado, deveria ele ficar preso por 30 dias, logo após ser indiciado por homicídio doloso, e não culposo, por ter assumido o risco de tirar vidas quando pegou o carro para dirigir mesmo estando embriagado, e igualmente sem direito a fiança, para que tenha bastante tempo para repensar seu comportamento irresponsável diante da vida.
É preciso acabar com a sensação, e mais do que isso, com a certeza da impunidade que camapeia em nosso país!
A impunidade incentiva o crime e o desrespeito generalizado às leis!
Não é mais aceitável que pessoas irresponsáveis saiam para beber dirigindo e depois de embriagados ainda dirijam de volta para casa e tirem vidas pelo caminho.
Isso precisa acabar!

As campanhas de esclarecimento não funcionam com essas pessoas irresponsáveis!
Vemos que as camapnhas de prevenção à AIDS não foram também capazes de fazer todos usarem sempre a proteção dos preservativos durante o sexo, e que muita gente ainda contrai a doença.
É preciso medida mais dura, e mais eficaz para barrar de uma vez por todas os motoristas irresponsáveis que bebem e depois dirigem, mesmo estando com suas famílias no carro, e até mesmo crianças, o que demonstra o nível de irresponsabilidade dos motoristas.
Quer beber, que beba em casa, ou saia de taxi, de van, a pé, para não colocar vidas em risco!
Nenhum prazer pessoal justifica a violação da lei, nem o ato de tirar uma vida humana por estar o motorista dirigindo embriagado!
Se você concorda comigo, faça circular este texto até que ele chegue às mãos de algum parlamentar federal que se sensibilize e elabore e apresente no Congresso Nacional projeto de lei federal alterando o Código Penal para endurecer nas penas a serem aplicadas a quem for flagrado dirigindo embriagado, principalmente aos motoristas que tirarem vidas.
Muita paz.

Salvador, 18 de junho de 2011.
Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *