O PASSISTA E O ÁLCOOL

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

O álcool etílico, que é ingerido pelo homem, é uma substância que rapidamente entra na corrente sanguínea, e em seguida chega muito ligeiro ao sistema nervoso.
Quando alguém ingere álcool, em cerca de vinte minutos ele chega ao sangue e logo ao sistema nervoso, e então tudo no corpo que está servido pelo sistema nervoso sofre os efeitos do ácool.
O álcool diminui a velocidade da transmissão nervosa.
Para quem acredita na existência de energia adentrando nosso corpo e circulando pelos canais de energias, nadis ou meridianos de energia, que estão, por sua vez, ligados aos nervos, podemos dizer que o álcool também afeta os condutos de energia, de prana, ki, chi, fluido animal, etc., no nosso corpo.

Quando se ingere álcool, a depender da quantidade, ele bloqueia, ou pelo menos dificulta a circulação de energia, de bioenergia.
Um pouco de álcool dificulta um pouco, e muito álcool quase bloqueia totalmente a circulação de energia, o que afeta em muito a saúde.
Todos nós, pela respiração, absorvemos prana, ou energia vital, ou fluido vital.
Há pessoas que, estando já meio doentes, com algum desequilíbrio, passam a absorver menos quantidade de energia vital, e então passam a adoecer ainda mais.
Uma pessoa saudável absorve quantidade de energia suficiente para sim, e há pessoas que possuem a capacidade de absorver mais energia do que precisam, e podem, por isso, transmitir o superávit de energia vital para outras, que estão em déficit de energia vital, enfraquecidas, desvitalizadas.

No meio espírita chamamos de passistas as pessoas que estão saudáveis e que transmitem, por caridade, o excedente de energia vital para outros.
É preciso, logicamente, que o passista esteja saudável! Isso em todos os níveis! Ou então ele vai apenas passar a sua doença para os outros, achando que está ajudando.
Um passista não pode fumar! Nem pensar! Ou passsará fluidos (energias) venenosos para os outros.
Quanto menos carne e alimentos de origem animal ingerir, melhor, pois esses alimentos “entopem” (bloqueiam) os canais de energia, como sempre me passaram os espíritos médicos com quem trabalhei.

Se o passista não quer ou não consegue abandonar os hábitos alimentares milenares carnívoros, pelo menos deve observar essa recomendação nos dias de trabalho de doação de energia por meio do apsse, ou também estará passando energias que não são boas para os que já estão adoecidos.
Um passista não deveria beber! Principalmente beber muito!
Se o passista bebe verdadeiramente com moderação, que seria um ou dois copos de vinho ou de cerveja no final de semana, o que pouca gente que bebe faz , isso não chegaria a comprometer seus condutos de energia.

Todavia, há passistas que bebem muitos copos de cerveja, wisky, etc., nos finais de semana, e alguns até durante a semana.
Um passista jamais deveria beber na véspera do trabalho de passe, pois seus canais de energia ainda estarão contaminados no dia do trabalho. E isso se realmente beber pouco.
Se o passista tomar cinco ou mais copos de cerveja no domingo, por exemplo, jamais deveria dar passe na segunda ou na terça.
Espíritos amigos já me disseram que se bebemos muito estaremos com nossos canais de energia contaminados e comprometidos por pelo menos três dias!
Quem trabalha com doação de energia, e aí alargo o expectro de doadores, incluindo quem aplica reiki e jorei, quem faz cura prânica, energização ou canzalização, duas técnicas de minha casa de trabalho, que são derivações com modificações do reiki, não deveria ter o hábito de ingerir bebidas alcoólicas, sobretudo em grande quantidade.
Essa prática afeta os nervos, e em consequência afeta também os canais mais sutis que são os condutos da chamada energia vital, prana, ki, fluido vital, etc.
Os canais de energia do passista devem estar sempre limpos, desimpedidos, saudáveis.

Ademais, quem realmente ama o passe pode ser requisitado pela espiritualidade a qualquer momento em que uma emergência aparecer, e em qualquer lugar.
Já tive que dar passe e afastar espírito que estava tentando dominar uma pessoa em um churrasco comemorativo!
Se eu estivesse bebendo, com minhas energias comprometidas, o que poderia fazer? Nada! Só olhar e lamentar pela oportunidade perdida de ajudar alguém que estava precisando muito de socorro!

Um passista é como um médico, um bombeiro ou um salva-vidas, que pode ser requisitado a qualquer momento! E que médico autêntico, bombeiro autêntico ou salva-vidas autêntico se nega a ajudar fora do seu horário de trabalho, e fica apenas olhando uma pessoa morrer?
Agora, se o passista acha que um dia na semana é o máximo que ele pode ajudar os outros, e apenas na sua casa de trabalho, e não está disponível para ajudar numa emergência, por exemplo, no meio de um cruzeiro de navio, porque está “enchendo a cara”, “tomando todas”, melhor seria não ser passista.
Dar passe é um ato de amor, um ato de caridade desinteressada, mas isso envolve estudo, conhecimento, e, acima disso, ter o corpo físico saudável, a mente saudável, e os canais de energia livres e desimpedidos.

O álcool corrompe nossos nervos físicos e nossos canais de energia!
Se você é ou deseja ser, de verdade, um passista, ou um aplicador de reiki, jorei, ou trabalhar com cura prânica ou similares, reflita sobre tudo isso, e tente, ao menos tente, se livrar e não cultivar o hábito de ingerir álcool, e busque um bom equilíbrio interior, para que possa ser um canal limpo das energias superiores para auxiliar os que sofrem na Terra.
Reflita sobre isso!

Muita Paz.
Salvador, 10 de maio de 2011.
Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *