ORAR E VIGIAR

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

Costumamos dizer a frase de Jesus como sendo “Orai e Vigia”, mas na verdade, segundo Mateus, o correto é “Vigiai e Orai, para não cairdes em tentação” (Mateus, cap.26, vers.41).
Jesus coloca a vigilância antes da oração!
Começo esta reflexão perguntando: Vigiar o quê?
Orar todos nós sabemos o que é, e para quem devemos orar, e conhecemos muitas orações prontas e também sabemos improvisar e deixar a oração sair do coração.
Mas o que é o vigiar? E vigiar o quê?
Vigiar alguma coisa, e orar, para não cairmos em tentação. Mas tentação de quê?
Vamos por parte, na sequência da frase de Jesus.

Em primeiro lugar ele nos recomendou a vigilância.
Devemos vigiar! Mas vigiar o quê?
Será vigiar a vida alheia? Será vigiar o vizinho, os parentes, os amigos, o governo?
Não. O que Jesus nos recomendou foi a vigilância interna, a vigilância da nossa própria mente, a vigilância dos nossos próprios pensamentos, das emoções, dos nossos sentimentos.
Devemos lembrar que ele nos falou que o mal não é o que entra pela boca, mas o que dela sai!
O que sai da boca vem da mente, vem dos pensamentos!
Uma mente desequilibrada, perturbada, descontrolada e deseducada pode fazer sérios estragos na nossa vida, e também nas vidas de outras pessoas.
O que devemos vigiar são os nossos pensamentos, dentro de nossa mente, pois é ali que eles nascem, crescem, e frutificam, quando se materializam em ações, em atitudes no mundo exterior, no mundo de relações sociais.

Vigiar a mente, vigiar os pensamentos, logo que eles surgem, para poder controlá-los ainda dentro da mente, e para que não cheguem a gerar frutos amargos para nós e para outros.
A vigilância da mente, a vigilância dos pensamentos faz parte inclusive do processo que nos leva à meditação, pois para meditar precisamos aprender a controlar a mente, a controlar os pensamentos, não deixando que eles nos dominem.
Quem não controla os pensamentos, e o seu fluxo dentro da mente, jamais conseguirá meditar de verdade!
Quem não conseguir controlar a mente não conseguirá silenciá-la, o que é a base da meditação!
Precisamos exercitar a vigilância e o controle dos pensamentos, das emoções e dos sentimentos, para sermos os senhores de nós mesmos, e não escravos dos pensamentos, emoções e sentimentos gerados em uma mente descontrolada.
É a mente deseducada e descontrolada, no controle da pessoa, que comete todos os tipos de crime.
É em um momento de raiva descontrolada, de fúria, de total descontrole emocional, que uma pessoa mata outra, num bar, no trânsito, na escola, etc.
Por isso defendo o desarmamento geral da sociedade, porque a maioria das pessoas não tem condições e equilíbrio emocional e psíquico para portar armas, e acaba usando-as e tirando vidas em momentos de descontrole mental e emocional.

É a mente sem autocontrole que comete aborto, que comete suicídio, que rouba, que furta, que corrompe, que é corrompida, que trai, etc.
Nós que somos espiritualistas, que acreditamos na existência de espíritos desencarnados influenciando os encarnados, sabemos que eles nos sugerem pensamentos e ideias a todo o momento, e, se não soubermos distinguir esses pensamentos alheios à nossa mente dos nossos próprios pensamentos, acabamos achando que todos os pensamentos que nos vêm à mente são nossos, que nasceram na nossa mente, e por isso acabamos dando vazão a eles, e eles se materializam no mundo de relações sociais.
É dessa maneira que nascem as obsessões espirituais!
Tudo começa com sugestões mentais, com a irradiação de pensamentos, de ideias, e na medida em que aceitamos essas sugestões, e as colocamos em prática, o terreno está semeado e pronto para a dominação mental mais completa. A obsessão teve suas raízes implantadas.
Devemos criar o hábito de vigiar sempre, o tempo todo. Mas isso não deve envolver nenhum esforço, nenhuma tensão.
É uma vigilância calma, serena, relaxada.

Apenas observar o fluxo de pensamentos dentro de nossa mente, e não alimentar os que forem ruins para nós ou para os outros.
Nossa mente é como um papagaio! Fala o tempo todo! Nunca quer parar!
Nesse fluxo contínuo de pensamentos e ideias muitas vezes surgem alguns pensamentos muito ruins, como roubar, furtar, desviar dinheiro, enganar, trair, ferir, etc.
Se deixarmos esses pensamentos correrem soltos dentro da mente, e dermos força a eles, é claro que vão crescer e crescer cada vez mais, até se tornarem uma ideia fixa, e então está pronto o terreno para a nossa dominação.
Muitos crimes nascem exatamente assim!
Todo corrupto já estava pensando em levar vantagens de seu cargo há algum tempo, e já estava se preparando para o momento oportuno! O corrupto não se corrompe da noite para o dia!
Da mesma forma, ninguém entra de repente para uma quadrilha de assaltantes, para uma organização de tráfico de drogas, etc., de repente. É sempre uma decisão pensada, refletida, e sempre ruim, que em um determinado momento surgiu dentro da mente, e não foi repelida, mas aceita, e alimentada, e por isso se concretizou.
Matar, pessoalmente, ou mandar matar alguém que contraria o interesse da pessoa é sempre fruto de um primeiro pensamento, de uma primeira ideia, e que foi aos poucos tomando corpo porque a ideia foi aceita, e alimentada.

Vigiar os pensamentos, vigiar a mente, é necessário para repelirmos os maus pensamentos, as ideias ruins, que nem sempre são nossas, porque há muita gente má do outro lado, invisível, torcendo para que nós nos desviemos do bom caminho.
Se dermos forças, aceitando essas ideias ruins, alimentando com a repetição esses pensamentos ruins, de fato tomaremos decisões que vão nos prejudicar, e muitas vezes prejudicar outras pessoas, e no fim das contas vão também nos prejudicar, pois o mal que fazemos aos outros sempre volta para nós mesmos.
É preciso vigiar a mente o tempo todo, de forma serena, relaxada, mas firme, e não deixar que os pensamentos ruins, que são aqueles que farão mal a alguém, a começar por nós mesmos, tomem corpo, e se fortaleçam, pois do contrário eles nos dominarão e farão grandes estragos em nossa vida, e em nossa caminhada evolutiva espiritual.
Quando em estado de vigilância constante percebermos pensamentos ruins em nossa mente, devemos repeli-los, não aceitá-los, nem fortalecê-los pela repetição, e é aí que entra a oração.
Percebendo pensamentos ruins na mente, fazer de tudo para afastá-los, e orar da maneira que mais lhe agradar, pedindo forças para combater esses pensamentos ruins, pedindo forças para resistir às tentações.
Somos tentados pelos pensamentos de roubar, de furtar, de tirar vantagens diante dos outros, de trair nossos companheiros, de matar, de ferir de várias formas, de fazer o mal, de nos afastar das boas influências, de nos aproximar das más influências, e muitas outras coisas.
Quando Jesus nos recomendou vigiar e orar para não cairmos em tentação, ele sabia da condição humana, de sua fraqueza diante das tentações; sabia dos pensamentos ruins que assolavam os homens, e que os impeliam para o crime, para a violência, para o adultério, para a guerra, etc.
Jesus era ao mesmo tempo médico e psicólogo, e um profundo conhecer da problemática humana, e de suas limitações. Era um médico de almas!
Por isso ele nos recomendava a vigilância e a oração, para não cairmos em tentação, pois, uma vez que não tenhamos vigiado a nós mesmos, que não tenhamos vigiado a nossa mente, nem orado pedindo forças, cairemos em muitas tentações existentes no mundo, e acabaremos sucumbindo a algumas delas.

A vigilância seguida da oração, ou concomitante com ela, nos dará forças para resistirmos melhor às tentações, que são tantas, e que nos levam a tantos caminhos tortuosos.
Lembremo-nos, por exemplo, da tentação sofrida pelo goleiro do Flamengo, não resistida, e que o levou a se envolver com uma mulher, sendo ele casado, e depois de um tempo acabou se envolvendo na ideia de se livrar dela pela morte. E então envolveu outras pessoas nessa ideia; deu cada vez mais força à ideia, e então a ideia se concretizou, se materializou, e a ex-amante foi morta de forma cruel, e o goleiro e outras pessoas estão presas e sendo processadas criminalmente.
Muitas vidas foram afetadas a partir da falta de vigilância e de oração, e por isso ele se deixou envolver e dominar pela tentação, e no final quis se livrar do problema que nasceu na sua mente por meio de um crime, tirando uma vida. Ele deixou levar por uma ideia ruim, a de se envolver com outra mulher, e depois acabou também se deixando levar por outra ideia ainda pior, e de matar essa mulher, que passou a incomodá-lo.
Tudo fruto de uma mente deseducada, não controlada, onde os pensamentos correm soltos e fazem o que querem na busca do prazer.
Muitos de nós vivemos exatamente assim, em que pese poucos chegarem a cometer crimes, e outros crimes para esconder um crime.
Fazemos muitas bobagens em nossas vidas, coisas que poderiam ser evitadas se houvesse vigilância mental e oração frequente, afastando os pensamentos ruins e aceitando apenas os bons pensamentos, para que evitemos fazer o mal a nós mesmos e também a outras pessoas.

A recomendação de Jesus (Vigiai e orai, para cairdes em tentação) ainda é pertinente, e ainda é atual, pois o homem de hoje não é tão melhor do que o homem do seu tempo.
Somos assediados por espíritos maldosos o tempo todo! E eles querem o nosso mal!
Vamos vigiar mais, e orar mais, para nos mantermos imunes a essa influência maligna!
Tratemos nossa mente como tratamos um jardim, não deixando ervas daninhas e mato tomarem conta dele, ou então as cobras e lagartos farão nele a sua morada!
Os pensamentos ruins que nos chegam à mente são como as cobras e os lagartos sempre passeando pelo jardim!
Vamos nos manter alertas, atentos, vigilantes o tempo todo, e orando para pedir forças quando nos sentirmos fracos diante das tentações, e assim vamos manter as cobras e os lagartos longe de nosso jardim, para que eles não venham fazer a sua toca em nossa morada!
Muita Paz!

Salvador, 23 de julho de 2011.
Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *