AS DISTRAÇÕES DA MATRIX

Print Friendly, PDF & Email
Avalie o artigo

Em primeiro lugar, faz-se necessário definir o que chamarei aqui de matrix.
Já tive oportunidade de fazer um paralelo entre a matrix do filme que tem este nome e o mundo material, o plano físico, em artigos e livros que escrevi.
Porém, como nem todos que lerão este texto tiveram ainda oportunidade de ler tais artigos e livros, farei um breve resumo sobre o que seria a matrix de que tratarei aqui.
No filme Matrix, existe um mundo virtual, um programa de computador criado pelas máquinas que dominaram o planeta Terra, e os humanos estão aprisionados em uma espécie de casulo, dormindo, e conectados ao programa matrix, levando uma vida mental artificial, e acreditando piamente que aquele mundo virtual, a matrix, é real, é a vida real.
Os humanos, no filme, vivem na matrix como se aquilo fosse a vida real, sem terem a menor noção e lembrança de que já viveram no mundo físico verdadeiro, e que foram aprisionados e que perderam a memória do mundo verdadeiramente real.
Aos poucos, alguns humanos conseguem ser libertados do casulo por rebeldes, tomam uma pílula, e percebem que viviam num mundo ilusório, irreal, artificial, virtual, que é a matrix.
O filme giram em torno do personagem Neo, que é despertado, toma a pílula, e passa a viver no mundo físico, real, mas agindo na matrix, o mundo virtual, com vistas à libertação de todos os humanos aprisionados.

Em nosso paralelo, mas de forma um pouco diferente do filme, e de forma invertida, o mundo que chamamos de material, o plano físico, é a matrix, e o mundo espiritual é o mundo verdadeiro.
Aprendemos com Allan Kardec, e os espíritos que responderam suas perguntas na confecção de O Livro dos Espíritos, lançado em 1857, que o mundo espiritual é o mundo verdadeiro, o mundo originário.
Viemos do mundo espiritual e para lá retornaremos.
Muitas vezes ficamos muito mais tempo no mundo espiritual do que no mundo material, no plano físico.
Somos espíritos, não somos um corpo. Possuímos um corpo, ou melhor dizendo, vários corpos, sendo o corpo físico apenas um deles, o mais denso.
Ao encarnarmos nesta dimensão física, material, ou seja, ao nos envolvermos numa matéria mais densa, numa energia mais condensada, esquecemos nossa condição de espíritos, esquecemos nossa origem, de onde viemos, e passamos a viver no mundo material como se ele fosse a única realidade.
É, no nosso paralelo, como acontece no filme Matrix.

As pessoas passam a viver na matrix, no mundo virtual, e esquecem de sua condição verdadeira de humanos.
Nós, espíritos, passamos a viver no mundo material, a matrix, e nos esquecemos de que somos espíritos.
Passamos a viver numa ilusão, acreditando que esta dimensão material é a real, e a única realidade.
Poucos já despertaram, poucos “tomaram a pílula”, para lembrar o filme, e a maioria não tem ainda noção da ilusão em que vive.
A maior parte da humanidade ainda vive na matrix material sem pensar no mundo verdadeiro, que é o mundo espiritual.
Por que as pessoas não despertam? Essa é uma pergunta que deve ser feita!
Dentro de uma visão que tenho absorvido, após muita leitura, muita reflexão, e muitos anos em contato com espíritos, seja em reuniões de intercâmbio mediúnico, seja em experiências fora do corpo, em projeção astral ou desdobramento, as pessoas têm dificuldade para o despertar espiritual por causa das distrações existentes na matrix, e elas não são poucas.
Além disso, os espíritos contrários às forças do bem, liderados por aquele a quem Jesus chamou de O Príncipe deste Mundo, que é o líder maior das forças das trevas, trabalham incessantemente para criar diversas distrações no mundo material para manter os seres humanos encarnados satisfeitos, alegres, e na busca permanente de prazer, de várias formas.
Ao longo da história da humanidade, foram sendo desenvolvidas estratégias de distração da humanidade.
Sexo, bebidas alcoólicas, drogas, festas e muitas outras coisas passaram a dominar o pensamento humano cada vez mais.
No século vinte, com o surgimento da televisão e do cinema, e das propagandas caras, belas e convincentes, quase hipnóticas, grande parte da humanidade caiu nas teias do sexo, das drogas, do álcool, e ficou presa na ilusão da matrix material.

Satisfeitas, sentindo várias formas de prazer, quase o tempo todo, as pessoas não têm tempo nem interesse em procurar as coisas do espírito.
Para que ler sobre o espírito, sobre o mundo espiritual, se a vida está boa, se a pessoa está cheia de prazer, disponível nas ruas, nas casas noturnas, em toda parte?
Nunca se fez tanto sexo na história da humanidade como acontece desde os anos 1950/1960, após o movimento de liberação sexual?
Hoje o sexo domina a humanidade quase por inteiro!
Não estamos falando de sexo natural, dentro do casamento, como acontecia no passado. Hoje o sexo é buscado como se busca um copo de cerveja, apenas para um prazer rápido, sem qualquer vinculação sentimental. Apenas atrito físico, prazer fugidio…
Nunca se bebeu tanto no mundo como hoje, com as propagandas belas na televisão!
O incentivo que se tem hoje para beber, e que atrai adolescentes cada vez mais cedo é um absurdo! Mas quem se importa com isso?
O Estado aceita, e até incentiva, pensando apenas nos impostos que arrecada com a venda de bebidas.
Nunca se tomou tanta droga como agora!

Os viciados estão nas ruas, à mostra, sentados nas calçadas das ruas movimentadas, sem vergonha e sem receio, como vi há poucos dias em São Paulo, em pleno centro da cidade.
Quantas vidas destruídas, quantas famílias destroçadas por causa do álcool e das drogas…
O sexo desvairado também vai destruindo casamentos e famílias…
Tudo isso constitui distrações da matrix, que nos entorpecem, que embotam nossa mente espiritual, mantendo-nos na ilusão de que estamos vivendo no único mundo que existe, no mundo real.
Drogadas, seja com tabaco, álcool ou outra droga mais pesada, e abastecidas de orgasmos, as pessoas levam uma vida inconsciente, presas na matrix, e vivem na ilusão completa…
Há também as distrações do poder, do dinheiro, do luxo, que ajudam muito a manter o espírito iludido, satisfeito, acomodado, sem jamais parar para pensar em vida após a morte…
No filme Matrix, um dos homens que havia despertado acabou por trair os demais companheiros, e fez um acordo com as máquinas, cansado que estava da vida dura, e desejando esquecer a vida real e voltar a viver na matrix sem se lembrar do mundo real, e ser um homem rico e poderoso…
Muita gente vive no luxo, rica, cheia de prazeres, sem querer mesmo pensar em vida no além…a vida material é tão boa, pensam elas…vivem egoisticamente, sem se importarem com os outros menos favorecidos…por isso Jesus disse que é mais fácil um camelo passar no fundo de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus…alguns poucos entram, mas são pequenas exceções…

A humanidade precisa começar a despertar, a “tomar a pílula”, a tomar consciência de que este mundo material, a matrix, é temporário, e que não é o mundo verdadeiro, real, definitivo.
Estamos aqui de passagem, por pouco tempo, em cada vida, para aprendermos várias coisas. O que estamos aprendendo agora, nesta vida?
O que estamos fazendo de nossa vida?
Estamos apenas buscando as distrações da matrix?
Apenas buscando o prazer imediato?
O objetivo de nossa vida é buscar a satisfação sexual, a distorção e a fuga da realidade por meio de drogas? Buscar a calma por meio do cigarro? Entorpecer a alma com poder, com luxo, com bens materiais?
É hora de reflexão, de conscientização, e sobretudo de mudança real!
Este mundo material é apenas uma grande matrix, um universo dimensional denso que serve a um propósito evolutivo.
Que compreensão temos disso? Que consciência temos disso?
Estamos apenas curtindo a vida? Curtindo a matrix ilusória?
Em breve estaremos de volta ao mundo real, verdadeiro, que é o mundo espiritual, e então perceberemos o quanto perdemos tempo presos nas distrações da matrix, que nos afastaram do foco evolutivo…

Tome a pílula e desperte, enquanto é tempo, para não se arrepender amargamente quando chegar no mundo real…
Não se iluda mais com as distrações da matrix!
Este não é o mundo original e verdadeiro!
Somos espíritos imortais de passagem por uma dimensão densa, o mundo material, a matrix, para aprendermos e evoluirmos, não sendo razoável ficar preso às ilusões desta dimensão…
Muita Paz.
Salvador, 27 de julho de 2013.

Luiz Roberto Mattos

Conheça nossa loja virtual: http://mestresanakhan.com.br/loja/

Comments 1

  • Olá! Boa Tarde!!

    Deixadas, logo abaixo, colocações ou observações para o Despertar do Raciocínio, em outras palavras, a Mente Consciente.

    Bom Raciocínio pra nois!!

    – Primeiramente, se você compra, vende ou barganha alguma coisa, nos grandes centros urbanos ou numa ecovila (comunidade holística), você está/é na/a Matrix, pois, você está dependente dos fabricantes/distribuidores das coisas que tu precisas e ou negocias. E os fabricantes/distribuidores (CNPJ/CPF) constituem o sistema, a sociedade, a ilusão denominada Matrix. Sendo assim, você participa da Ilusão. Você contribui para a manutenção/conservação/permanência de Maya, a Matrix (o ego).

    – Mesmo que você pratique meditação, projeção astral (com qualquer técnica) ou estados alterados de consciência, “você” (o ego) ainda subsiste, pois a dualidade astral/não astral é uma realidade, “a menor”. Em suma, neste caso, algum(ns) dos cinco sentidos predomina; o “seu corpo físico” espera o “seu espírito, alma ou consciência, etc.”, deitado na cama após a experiência de viagem astral ou a outras dimensões. Você desperta do repouso físico na cama, levanta-se e se prepara para tomar um café da manhã, tomar um banho e ir fazer algo que lhe traga dinheiro. O ego subsiste através da frequência tridimensional/quadridimensional

    – Em síntese, “sair da Matrix” e “viver fora da Matrix” são colocações dualísticas ou inadequadas quando o Intento é a Consciência e nada mais, que levam a confusão ou incompreensão coletiva, pois, a maioria das pessoas (a ignorância ou os mosquitos de superfície aquática, que não quebram a tensão superficial) pensam que elas podem sair da Matrix como se pode sair de dentro de algum recinto, como por exemplo, uma casa, igreja, loja ou estabelecimento comercial. O termo adequado já foi proferido por “vários esclarecidos ou iluminados”, o qual se pode resignificá-lo com a Morte dos Cinco Sentidos. Se sobrar algum Sentido aí, você está/é n(a) Matrix e contribui para a manutenção/conservação/permanência dela, o que pode-se traduzir como percepção dual ou fragmentada.

    Abraço!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *