Pesquisar:


Tem este espaço virtual

como único objetivo

divulgar meus trabalhos,

esperando com isso estar

contribuindo para o

crescimento das pessoas,

para o despertar da

espiritualidade e o desejo

do estudo sério sobre as

coisas do espírito.

 

Preecha o formulário abaixo para receber informativos do site:

Nome:
E-Mail:
Sites parceiros:
IPPB

Revista Crista de Espiritismo

Santuário

 ::   Entrevista - Introdução a Viagem Astral

Voltar INTRODUÇÃO A VIAGEM ASTRAL  
Alexei: Primeiramente, o que seria uma “viagem astral”? Como surgiu este termo?
Luiz: Astral, pelo que lembro de antigas leituras, deriva de astro, porque o corpo energético, quando visto, fora do corpo físico, brilhava muito, o que lembrava um astro, como o sol. Então, viagem astral é a viagem desse corpo energético, mais sutil, menos material que o corpo físico. Essa viagem é a saída do corpo físico, estando a consciência no corpo astral, ou perispírito, como o chamam os espíritas, podendo simplesmente ficar junto do corpo, flutuando, ou ficar apenas no quarto ou em casa, ou ainda podendo se deslocar pelo planeta físico ou ainda no plano espiritual.
 
Alexei: Se eu sair do meu corpo, poderá outro espírito ocupá-lo?
Luiz: Quando se estuda a obsessão espiritual, vemos que, a depender do seu tipo e do seu grau, pode um espírito desencarnado ocupar, em maior ou menor escala, o corpo do obsidiado. Todavia, essa ocupação nunca é absoluta, nem definitiva. E quando saímos do corpo, em viagem astral, somente poderá outro espírito ocupá-lo se estivermos muito desequilibrados, como estamos ao dar margem a uma obsessão mais intensa, com ocupação parcial e temporária do corpo. Desse modo, não é a saída do corpo que permite a sua ocupação por outro espírito, mas o nosso estado de desequilíbrio. Assim, se a pessoa não está equilibrada, é melhor não tentar fazer viagem astral. Nunca aconteceu isso comigo, que pratico as viagens astrais há 31 anos. E não conheço nenhum caso, nem nunca ouvi falar ou li sobre um caso desses. Portanto, não se preocupem com isso, nem tenham medo.
 
Alexei: Qual a diferença de uma “experiência de quase morte” e uma viagem astral?
Luiz: Em primeiro lugar, faz-se necessário definir o que seja a quase morte. Se for aquela experiência em que a pessoa, por exemplo, está em coma, em hospital, ou é dada como morta, e depois desperta e relata uma vivência em outra dimensão, no mundo espiritual, isso é verdadeiramente uma viagem astral, porque o espírito sai do corpo quando ele está muito fraco, e pode ir a qualquer lugar no plano físico, e a muitos lugares no plano espiritual. Estando o corpo físico saudável ou doente, o espírito pode sair dele, em viagem astral, e viajar com certa liberdade por aí, e depois retornar ao corpo de carne.
 
Alexei: Existe o perigo de eu me perder fora do corpo, no plano espiritual, não conseguindo voltar ao meu corpo físico?
Luiz: Perigo de se perder, não. Esteja onde estiver, se a pessoa sente medo, se assusta, ou simplesmente desejar retornar ao corpo, automaticamente a ele retornará, sem precisar de bússola ou saber para que lado ir. Já me projetei estando em viagem de navio no meio do Mediterrâneo, e vim a Salvador e depois voltei ao corpo em dois dias diferentes, em 2007. Já me projetei estando viajando de avião entre Paris e Bombaim, na Índia, e voltei ao corpo, que estava no avião, que estava a 900 km\hora, ao ser atacado por um espírito poderoso, na Índia, e me assustei, em 1994. Já me projetei estando em viagem de ônibus. Tudo sem problemas. Você volta ao corpo de onde estiver. Salvo se acontecer algo muito extraordinário, como ser aprisionado por um espírito muito poderoso, mas aí você pede socorro, ora, e em rápidos segundos alguém o liberta. E isso somente se você não estiver em viagem assistida por espíritos preparados. Daí a importância da preparação prévia, e de orar pedindo ajuda para as saídas astrais. A proteção é muito importante, sobretudo no início. Depois de muito tempo, conhecimento e experiência você começa a viajar sozinho por aí. Mas tem que estar equilibrado, vibrando em faixa inacessível aos espíritos perversos e poderosos.
 
Alexei: Existe algum perigo na viagem astral? Posso morrer durante uma experiência dessas?

Luiz: Perigo existe aqui na Terra física, como também no plano astral, mas apenas no inferior, mas de forma diferente. Existem marginais no outro mundo, como neste. Todavia, você não pode ser assassinado, por exemplo, com tiro ou facada, quando está no corpo astral, em viagem astral. Mas pode ser atacado, maltratado, sofrer lesões em seu corpo espiritual, que se repercutirão no corpo físico. E pode ser aprisionado temporariamente, como aconteceu comigo (questão de segundos apenas, porque logo pedi socorro a Sana Khan e a Jesus), como dito antes, o que me aconteceu apenas uma única vez, em 1993, quando me projetei do Egito e fui até a Índia. Por isso é importante a preparação prévia, antes de tentar sair do corpo com intuito de viajar pelo plano astral.

É preciso encarar o outro mundo como um mundo diferente, em parte, ainda estranho para a maioria de nós, e que precisa ser conhecido, através de leituras de livros como as obras de André Luis, psicografados por Chico Xavier, e as de Robson Pinheiro, como Legião e Senhores da Escuridão, que é a continuação da outra, além de muitos outros livros. Se alguém já morreu durante uma projeção astral, não voltou para contar. Mas acho que isso não acontece. Ninguém desencarna antes da hora, a não ser que cometa suicídio. Ademais, todos temos proteção espiritual, principalmente aqueles que são pessoas boas na Terra. Seja bom, e não se preocupe com a morte em momento algum.

 
Alexei: O que devo fazer se durante uma viagem astral eu for atacado por um espírito negativo?

Luiz: Lembre-se sempre de se preparar antes de buscar a projeção astral e a viagem fora do corpo. E quando sair do corpo esteja sempre atento; e, ao sentir medo, ou se sentir ameaçado, percebendo que vai ser atacado por um espírito, ore, peça ajuda. Sempre funciona. Agora, algumas vezes, o medo ou um ataque inesperado nos assusta, e isso faz o nosso coração disparar, de forma involuntária, e acabamos retornando ao corpo físico.

Isso já aconteceu muitas vezes comigo, principalmente no início, e como numa experiência que relatei em um capítulo do meu livro Sana Khan, volume III, ainda em andamento, mas já à disposição em meu site, quando fui tentar ver meu pai, em agosto de 2006, recém desencarnado, estando ele em um hospital no astral inferior, no umbral, quando eu estava seguindo a pé, com um irmão meu, e fui atacado de repente por um espírito em forma de demônio, daqueles horríveis que somente vemos em filmes de terror, magro, de boca grande e dentes pontiagudos, asas, rabo comprido, etc.

Eles existem mesmo. São espíritos perversos que acabam com o tempo mudando a sua aparência. Não tive medo ao vê-lo nos sobrevoando e nos acompanhando, mas quando ele, que parecia ter ido embora, voltou e saltou rapidamente sobre mim, e me mordeu no peito, instintivamente me defendi, com um lance defensivo de karatê, jogando-o longe de mim, mas o susto me fez voltar ao corpo. Ore sempre antes de dormir. E, no perigo, ore ainda mais, e peça ajuda. Ela sempre aparece. Todos temos nossos protetores.

 
Alexei: Em sua opinião, qual a principal utilidade da viagem astral para a humanidade?
Luiz: Bom, a projeção astral serve a vários propósitos, como instrução, estudo, aprendizados variados, trabalho em prol dos desencarnados nas zonas inferiores, e conhecimento do mundo espiritual, o mundo original, de onde viemos e para onde retornaremos. Mas, se é para dar a minha opinião quanto à principal utilidade da projeção astral, diria que é a consciência que se passa a ter de que efetivamente somos espíritos, que sobreviveremos à morte do corpo de carne, e que teremos outro mundo para viver após a morte, porque essa perspectiva de sobrevivência da alma muda a nossa vida toda, e pode mudar a de todas as pessoas, e a humanidade espiritualizada será muito diferente do que é hoje, sem guerras, sem fome, etc...
 
Alexei: Apenas pessoas iniciadas em alguma ordem esotérica podem vivenciar uma viagem astral consciente ou esta experiência pode ser praticada por qualquer pessoa?

Luiz: Conheço pessoas sem crenças, e também frequentadores das mais variadas igrejas que me relatam sonhos que considero claramente lembrança de viagens astrais. E conheço gente que frequenta ordens iniciáticas e que não conseguem fazer ou pelo menos lembrar das viagens astrais. Isso mostra que qualquer um pode fazer a viagem astral. Aliás, todos fazem, em menor ou maior escala, viagens astrais, só que poucos lembram com clareza.

Muita gente lembra dessas viagens como sonhos, mas não sabe distinguir um sonho que é recordação de experiências fora do corpo de um sonho que é lembrança de regressão a vidas passadas, ou ainda de um sonho criado pelos pensamentos e pelos desejos. Todos saem do corpo e viajam. Qualquer um pode fazer.

 
Alexei: Em sua opinião, existe algum pré-requisito para quem deseja fazer uma viagem astral?

Luiz: Não digo que seja exatamente um pré-requisito, porque qualquer um pode, a qualquer momento, sair do corpo, e até mesmo lembrar depois. Todavia, faço sempre recomendações para quem deseje praticar a projeção ou viagem astral, como em um texto que escrevi sobre isso em meu site. É importante, para mim, manter o equilíbrio emocional, psicológico, ter boas intenções, orar e atrair proteção e ajuda para as saídas astrais, para evitar dissabores.

A boa alimentação também ajuda na recordação, e na saúde geral do corpo, mesmo para aqueles que ainda comem carnes. Não fumar, evitar o álcool. Não precisa ser santo, mas ter desejo de ajudar as pessoas, e de aprender, sendo humilde diante dos mestres espirituais. Há muita gente lá em cima querendo nos ajudar, mas precisamos nos abrir, e nos colocar à disposição dos seres iluminados para os trabalhos no mundo espiritual. Então ajudaremos os que estão abaixo, e seremos ajudados pelos que estão acima.

 
Alexei: Todo ser humano tem um espírito protetor ou guia? Caso positivo, este guia sempre nos ajuda em uma viagem astral?
Luiz: Normalmente, as pessoas que não são más, que não são perversas, que não são marginais, possuem um ser espiritual desencarnados a ajudá-las, que chamamos de anjo da guarda, amparador, guia, mentor ou mestre ou ainda por outros nomes, a depender da cultura religiosa ou mística. E esses protetores normalmente nos auxiliam sim nas viagens astrais, desde que, principalmente, tenhamos boas intenções, bons propósitos, bons planos para o que fazer fora do corpo. Mas se, por exemplo, alguém sai do corpo pensando em encontrar outra para fazerem sexo, o que acontece demais no mundo espiritual, no astral inferior, entre dois encarnados e também entre desencarnados e encarnados, é claro que o mentor espiritual não vai ficar do lado assistindo o ato, mas ele não intervém, por respeitar o nosso livre arbítrio. Tudo depende de nossos pensamentos, desejos e planos. Nossos guias querem nos ajudar, e querem o melhor para nós. E nós, o que queremos...
 
Alexei: Qual a principal mudança, seja energética, psicológica ou outra qualquer que uma pessoa pode ter ao vivenciar continuamente experiências fora do corpo de maneira lúcida?
Luiz: Uma pessoa pode não mudar muito, nem completamente, por lembrar continuamente das viagens fora do corpo. Mas normalmente ela ganha mais consciência de sua condição de espírito imortal, o que impulsiona seu processo de mudança interior, de sua melhora como ser humano. Isso vai aos poucos levando a um maior equilíbrio emocional, psicológico, etc., mas isso não é imediato. Afinal, a natureza não dá saltos. Ninguém pense que o simples fato de desenvolver uma faculdade paranormal, ou uma mediunidade qualquer, vai mudar da noite para o dia, da água para o vinho. Isso não existe. A evolução é lenta, mas as experiências de projeção astral com lucidez ajudam um bocado nessa evolução e conscientização de muita coisa.
 
Alexei: Em seu modo de ver, quais os primeiros passos que devemos tomar para vivenciarmos experiências lúcidas, fora do corpo, enquanto fisicamente estivemos adormecidos?

Luiz: Olha, a minha experiência me mostra que acima de tudo temos que ter uma predisposição genética, como acontece com todas as mediunidades, para o desenvolvimento da recordação frequente das experiências fora do corpo. Então, o resto é exercício, prática, alimentação, oração, pedido de ajuda, e muitas outras coisas que fazia no início, como amplamente descrito e explicado no meu primeiro livro publicado, Sana Khan – Um Mestre no Além. Além disso, é bom ler muitos livros sobre o mundo espiritual, para conhecer um pouco daquilo que verá, e não se assustar tanto com as novidades e surpresas inesperadas...não se deve viajar a um país estranho sem antes se ter um mínimo de informações sobre a vida, as pessoas, a cultura, etc., do local...

 
Alexei: Como treinar nosso cérebro físico de forma a obtermos maior facilidade em recordarmos nossas vivências extrafísicas?
Luiz: Como disse na pergunta anterior, acima de tudo hoje vejo a questão da recordação como uma questão genética, de predisposição, como acontece também na vidência, na clariaudiência e na telepatia. São todos dons naturais, que já trazemos programados em nosso corpo. Há no cérebro diferenciações que nos permitem lembrar mais, ou menos, de nossas experiências fora do corpo. Todavia, não sabemos se possuímos tal programação, salvo em raros casos em que isso nos é passado por amigos espirituais, como aconteceu comigo em reuniões mediúnicas nas quais participava, e ainda participo. Mas, na dúvida, e de qualquer forma, vale a pena tentar, exercitar, experimentar, como eu fiz em 1978, sem saber se tinha esse dom nato, e pedir ajuda para lembrar. Colocar-se à disposição para o trabalho no mundo espiritual, este é, para mim, o melhor caminho para atrair ajuda, inclusive magnética, para recordarmos um pouco de nossas viagens...
 
Alexei: O que devo fazer, e como devo me portar se vir um espírito enquanto estiver fora do corpo?

Luiz: Com cautela, atenção, respeito, equilíbrio emocional. Quem tem medo de espírito não deve se aventurar a sair do corpo e querer lembrar depois. Trabalhar o medo. Vencer o medo. Pedir ajuda sempre antes de sair do corpo, pelo menos nos anos iniciais. Estudar sobre aura, para aprender quais cores expressam evolução elevada e pouca evolução.

Cada cor tem seu significado. Pela cor da aura podemos muitas vezes saber se corremos riscos ou não diante de um espírito, sabendo sua condição evolutiva. Se estivermos acompanhados de bons amigos, de nossos mentores, nossos mestres e protetores, nada há a temer, porque eles não são atacados, pela sua elevação vibratória.

Os espíritos menos evoluídos respeitam os que eles chamam de “maiorais”, os seres de luz. Com eles, você estará seguro. Assim, atraia-os para perto de você, e se faça humilde servo e aprendiz de um deles, e assim sua segurança e aprendizado estarão garantidos...sua vida e seu comportamento é que dirão a eles se você é digno ou não do seu convívio...”quando o discípulo está preparado, o mestre aparece”...não esqueça essa máxima antiga...

 
Alexei: Luiz, você poderia nos informar alguma técnica prática para sutilizarmos nossas energias ao dormimos, de forma a obtermos uma facilidade maior em atingirmos planos mais sutis e consequentemente mais avançados?
Luiz: Desliguei-me por completo de técnicas. Usei muita coisa no início, incenso, vela acesa, respiração, e outras coisas mais. Hoje, o importante para mim é o meu estado mental, emocional, pois é isso o que determina o meu padrão vibratório. Orar, da forma que gostar, mas com fé, com convicção, e não apenas repetindo palavras. Isso nos conecta com Deus, e com os espíritos de luz, com os mestres de verdade. A oração sentida eleva nosso padrão vibratório imensamente, sutilizando nosso corpo astral, clareando nossa aura, e isso nos permite ascender a planos superiores. Técnica nenhuma lhe garante isso. Só o padrão mental, emocional, o seu equilíbrio real permitirá que você alcance regiões mais elevadas no mundo espiritual. Sair do corpo não é tudo, o importante é para onde iremos e o que faremos fora do corpo. Tem gente que até sai com facilidade, e recorda depois...mas apenas de suas andanças no astral inferior...só quero isso se for a trabalho, como faço muito...agora, viagem agradável, é preciso subir um pouquinho...ver coisas belas, encontrar gente evoluída...ir a museus, escolas, bibliotecas, fábricas, etc, nas metrópoles espirituais onde já não há maldade, suor, dor, fome, guerras, baratas, serpentes, aranhas, escorpiões, assaltantes, corrupção, medo, calor intenso ou frio de doer na alma...é preciso crescer e desejar fazer o bem, e praticá-lo efetivamente, e com frequência, para poder chegar a esses lugares maravilhosos...mas todos podemos...é só querer, e trabalhar na busca do nosso sonho...

Muita Paz

Salvador, 18 de agosto de 2009.

Luiz Roberto Mattos

 
Voltar    
Programação e Design por Alexei Bueno - Visitas: 380843

FECHAR

Criação da Loja Virtual e venda dos livros

Amigos, durante mais de nove anos mantive todos os meus livros disponíveis para download gratuito e uso em qualquer site.

Decidi recentemente iniciar a produção dos livros que nunca foram publicados impressos. Isso implica em custo com capa, diagramação, revisão e impressão.

Dessa forma, e por esse motivo, resolvi criar uma loja virtual aqui no site para a venda dos livros, inicialmente em formato e-book, e depois um a um impresso.

Não posso custear a edição física de todos os livros sem a venda dos e-books.

Já estão à venda meus livros eletrônicos (e-book), com preço razoável, para custear a edição física dos livros.

Em breve lançarei, impresso, o livro "O ALÉM - DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS". E farei lançamentos com palestras.

Em seguida virão os outros.

O pagamento das compras será feito através do Pague Seguro, que aceita qualquer cartão de crédito ou débito!

Muita paz!

Luiz Roberto Mattos

Clique aqui para entrar na Loja: www.mestresanakhan.com.br/loja