Pesquisar:


Tem este espaço virtual

como único objetivo

divulgar meus trabalhos,

esperando com isso estar

contribuindo para o

crescimento das pessoas,

para o despertar da

espiritualidade e o desejo

do estudo sério sobre as

coisas do espírito.

 

Preecha o formulário abaixo para receber informativos do site:

Nome:
E-Mail:
Sites parceiros:
IPPB

Revista Crista de Espiritismo

Santuário

 ::   Textos do autor - clique no título para ler na íntegra

Voltar
Quantidade de leituras:1610    Versão para impressão
A DUPLA NATUREZA HUMANA
A dupla natureza humana de que vou tratar aqui nada tem a ver com dupla personalidade ou dois seres vivendo em um só corpo.

Pretendo apenas falar de dois pontos de vista, ou duas maneiras de ver as coisas, de ver o mundo, e de dois ângulos diferentes de visão da vida.

Minha análise precisa da crença e compreensão de que somos espíritos que estamos temporariamente em um corpo de carne, não um corpo apenas, que morrerá e tudo com ele terminará.

Quem acha que não somos ou não temos uma alma, como algumas pessoas costumam dizer, não poderá ter a dupla visão de que falarei.

Somente quem já consegue pensar de alguma forma em si mesmo como alma, como espírito, poderá acompanhar meu raciocínio.

Como sou espiritualista, e acredito na pré-existência e na sobrevivência da alma após a morte do corpo físico, todo o meu raciocínio partirá dessa premissa.

As pessoas que não se veem como espíritos, ou seja, que não acreditam que são espíritos, estando agora encarnados, ligados ao corpo carnal, têm uma visão da vida puramente materialista.

A compreensão da vida e do mundo que essas pessoas têm não vai além da morte. Elas não acreditam em vidas passadas, nem em vidas futuras, não acreditam em reencarnação.

Assim, para essas pessoas, a vida é vista apenas sob a ótica material, carnal.

Para elas só existe esta vida!

Assim, para muitos materialistas, cometer um crime, por exemplo, e não ser descoberto pela polícia e não ser condenado pela justiça significa liberdade, falta de punição, impunidade absoluta.

Elas não pensam que sofrerão as conseqüências de seus atos no mundo espiritual, e que poderão ser perseguidas por suas vítimas que buscam vingança no outro mundo, após a morte. E não sabem que possivelmente em uma vida futura poderão sofrer as consequências de atos praticados em vida anterior.

Já para quem acredita em múltiplas vidas, na reencarnação, na Lei de Causa e Efeito, as coisas são diferentes.

Fazer o mal a alguém agora certamente trará consequências futuras!

Quem matou em nome de Deus, em nome de uma causa política qualquer, ou para roubar, ou para ficar com a mulher do outro, matou o sócio para ficar com a empresa só para si, etc, adquire, mesmo sem saber e sem querer, responsabilidade pelos atos praticados que tenham sido lesivos a outros.

Mesmo tendo já alguma consciência de que somos espíritos, mas ainda sem estarmos vivendo plenamente de acordo com essa crença, nossa vida começa já a ser pautada em parte numa visão espiritual da vida, mas tendo ainda momentos em que agimos como se fossemos apenas matéria.

Os seres muito evoluídos, que pensam sempre como espíritos imortais, mesmo encarnados agem sempre como espíritos, em qualquer situação.

Eles pensam e agem sempre com a sua natureza espiritual, que predomina.

Já os seres que não acreditam que não são mais do que matéria pensam e agem sempre com base apenas e unicamente na visa presente, buscando normalmente o seu bem-estar, o seu prazer, a sua felicidade, nem sempre respeitando os direitos, as vontades e a felicidade dos outros.

Esses são dois extremos.

Penso que os espiritualistas em sua maioria estão no meio do caminho, acreditando, em teoria, que são espíritos, que já viveram antes e que voltarão à Terra em outros corpos.

Dessa forma, a vida dos espiritualistas em evolução é uma constante batalha interior entre o querer e o conseguir, entre o ser espiritual e o ser carnal.

Querem agir como espíritos, mas muitas vezes as necessidades do corpo falam mais alto.

Querem agir com a mente livre dos desejos e apegos a coisas materiais, biológicas, mas muitas vezes percebem que suas mentes ainda estão presas a essas questões da vida material.

Esses seres intermediários em evolução, a grande maioria dos espiritualistas, vivem ainda em grande conflito interno.

É um conflito entre a natureza espiritual que começa a despertar e a natureza carnal, que decorre do fato de estarem encarnados, ou seja, de estarem ligados a um corpo de carne, que gera necessidades e desejos.

O corpo carnal reclama alimento, reclama sexo, porque isso é instintivo, é próprio do corpo, e isso muitas vezes causa conflito no ser.

Enquanto a natureza espiritual nos impele a ter uma visão mais ampla da vida, e nos dá uma perspectiva maior, imortalista, eterna, a natureza carnal nos puxa para uma visão mais terrena, e nos prende a comida, sexo, prazer físico em eral, etc.

São tantos os conflitos humanos por causa dessa duplicidade de naturezas.

Muitos espiritualistas casados, por exemplo, têm envolvimento sentimental, ou apenas carnal, sexual, com outra pessoa, uma relação extraconjugal, e algumas vezes isso leva à separação, e ao desmantelamento da família.

Muitas vezes o desejo carnal excessivo suplanta o sentimento que existe pelo(a) companheiro(a), pelo esposo(a), e a pessoa não consegue segurar a paixão, ou o desejo, e se lança em aventuras que podem ser desastrosas para ela mesma, para o(a) compaheiro(a), e para a família com um todo.

Quantos casamentos razoavelmente equilibrados se desfazem por causa de uma aventura fruto de um desejo irrefreado?

Quantas famílias já foram destruídas por causa de paixões passageiras, ou apenas por causa de sexo fortuito, casual, ocasional, mas descoberto, com outra pessoa?

Quantas doenças são adquiridas por excesso de comida, de bebida alcoólica, de drogas, de cigarro, porque a pessoa não consegue dominar os desejos?

Quantas pessoas já foram infectadas pelo vírus HIV porque não dominaram o desejo sexual incontido, muitas vezes desajustado, desequilibrado, e irresponsável?

É a natureza carnal que leva a tudo isso, quando ela predomina na pessoa!

Quem já conquistou verdadeiramente a condição de espírito, que se sente espírito, e que vive como espírito, não apenas como corpo, não faz tantas coisas erradas, não comete tantos erros na vida, e não precisa depois se arrepender das coisas que fez de forma inconsequente.

Estamos, no entanto, evoluindo. Estamos no caminho, aprendendo sempre, mesmo com os erros.

Precisamos, porém, desenvolver mais a nossa visão espiritual, para passarmos a ver o mundo e a vida como espíritos.

Comer é uma necessidade corporal. Precisamos comer para viver e ter saúde. Mas não precisamos nos empanturrar de comida até o corpo adoecer, com colesterol alto, com enfarto, com diabetes, com derrame, AVC, etc.

Dinheiro é apenas energia monetária, energia-papel, que serve para adquirir produtos úteis para a nossa vida.

Viver em função do dinheiro, da acumulação de bens e dinheiro no banco chega a ser insano, sobretudo para quem sabe que a vida continua após a morte do corpo de carne, e que nada material será levado para o outro mundo.

Roubar, matar por dinheiro, corromper, ser corrompido, desviar dinheiro público para paraísos fiscais, etc, mostra bem o predomínio da natureza carnal, que não enxerga ainda a vida carnal como um momento de aprendizado do espírito, que é o único imortal.

O ser que sabe que vai responder e sofrer as consequências após a morte e em vidas futuras de todo o mal que fez aos outros na ânsia de acumular bens materiais não deve jamais olhar o dinheiro e os bens com o mesmo olhar do ser que vê unicamente a matéria e apenas esta vida.

Para aqueles que começam a enxergar a vida com a visão espiritual, o dinheiro deve ser encarado como um meio, jamais como um fim. O dinheiro serve ao espírito! O espírito não deve servir ao dinheiro!

Os políticos e agentes públicos em geral que enriquecem ilicitamente, em detrimento da saúde da população, não fazem ideia do quanto estão se endividando perante a Lei de Causa e Efeito. Quanto renascerem em países miseráveis na África, por exemplo, chorarão lágrimas de sangue e sentirão a dor da fome. Nenhum crime fica impune eternamente!

Sexo é energia criativa. É necessário para gerar vida. A reencarnação depende do sexo. Mas não precisamos viver buscando avidamente o tempo todo o sexo como se a nossa vida e a nossa felicidade dependessem dele.

Sexo é ponte para o amor!

É preciso estar atento para o sexo que destrói casamento, e que destrói família. Esse sexo é danoso, é nocivo!

Viver comandado pelos desejos sexuais é um camimho perigoso, destrutivo!

Conheço vários casamentos e famílias desfeitas por que o marido, principalmente o marido, não conseguia conter o desejo excessivo e incontrolado de sexo com todas as mulheres possíveis e imagináveis que cruzavam seu caminho.

São os viciados em sexo!

São como os alcoólatras, ou os viciados em droga. Não há diferença alguma entre os vícios, a não ser apenas o objeto do vício! A estrututa mental do viciado é uma só!

Os espiritualistas precisam estar mais atentos a essas questões!

Para um materialista, que tem apenas a visão carnal da vida, é mais difícil pensar com a mente livre dos entraves, dos desejos e dos instintos biológicos. Porém, os espiritualistas já sabem que não são apenas corpo carnal. Sabem que são espíritos, que continuarão a viver após a morte do corpo de carne. Isso deve ser levado em conta em todas as situações da vida, e deve ser considerado em todas as decisões na vida.

É preciso sentir mais com o coração do que com o corpo!

Abandonar a esposa ou o esposo porque o corpo mudou, a forma mudou, ficando mais gordinho(a) ou mais magrinho(a), porque as rugas apareceram, etc, em detrimento do sentimento, do amor ainda existente no coração é dar vasão unicamente ao instinto, ao desjo do corpo, e é viver como homem carnal, não como homem espiritual.

O homem espiritual deve se ligar pelo coração, não apenas pela forma do corpo!

Ademais, toda forma é passageira! Todos nós vamos envelhecer! Mas só o corpo envelhece!

O espírito pode ser eternamente jovem mentalmente!

A juventude é muito mais um estado de espírito!

Da mesma forma, a velhice é da alma!

Vamos pensar cada vez mais como almas, como espíritos, e vamos aprender a dominar nossos impulsos carnais, nossos anseios e desejos do homem carnal.

Seremos muitos mais felizes nos ligando ao que é eterno!

O corpo e tudo o que está a ele ligado passará em breve tempo!

Assim, viver em função do corpo, fazendo todas as suas vontades é colocar a felicidade na dependência da satifação dos instintos, dos desejos voltados apenas para a carne à qual estamos apenas temporariamente ligados, enquanto encarnados, e isso passa realmente muito rápido.

É hora de fazer prevalecer em nossa vida a natureza espiritual, e de dominar a nossa natureza carnal!

Muita paz.

Salvador, 23 de junho de 2012.



23/6/2012 11:47:25    Versão para impressão
Se desejar, faça um comentário:
Seu nome:
Cidade:
Faça seu comentário:
Favor digitar exatamente as letras da figura abaixo antes e clicar enviar:
Voltar    
Programação e Design por Alexei Bueno - Visitas: 399582

FECHAR

Criação da Loja Virtual e venda dos livros

Amigos, durante mais de nove anos mantive todos os meus livros disponíveis para download gratuito e uso em qualquer site.

Decidi recentemente iniciar a produção dos livros que nunca foram publicados impressos. Isso implica em custo com capa, diagramação, revisão e impressão.

Dessa forma, e por esse motivo, resolvi criar uma loja virtual aqui no site para a venda dos livros, inicialmente em formato e-book, e depois um a um impresso.

Não posso custear a edição física de todos os livros sem a venda dos e-books.

Já estão à venda meus livros eletrônicos (e-book), com preço razoável, para custear a edição física dos livros.

Em breve lançarei, impresso, o livro "O ALÉM - DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS". E farei lançamentos com palestras.

Em seguida virão os outros.

O pagamento das compras será feito através do Pague Seguro, que aceita qualquer cartão de crédito ou débito!

Muita paz!

Luiz Roberto Mattos

Clique aqui para entrar na Loja: www.mestresanakhan.com.br/loja