Pesquisar:


Tem este espaço virtual

como único objetivo

divulgar meus trabalhos,

esperando com isso estar

contribuindo para o

crescimento das pessoas,

para o despertar da

espiritualidade e o desejo

do estudo sério sobre as

coisas do espírito.

 

Preecha o formulário abaixo para receber informativos do site:

Nome:
E-Mail:
Sites parceiros:
IPPB

Revista Crista de Espiritismo

Santuário

 ::   Textos do autor - clique no título para ler na íntegra

Voltar
Quantidade de leituras:2631    Versão para impressão
NÃO CAI UM FIO DE CABELO...
Não dava para colocar toda a frase de Jesus como título, por isso coloquei apenas o seu início!

Está escrito nos evangelhos que Jesus disse: “Não cai um fio de cabelo de nossa cabeça sem que Deus saiba e permita”, e também “Não cai uma folha de uma árvore sem que Deus saiba e permita”.

As duas frases são praticamente idênticas, mudando apenas o objeto, fio de cabelo e folha.

O que Jesus quis dizer com essas frases?

Jesus não falava nada inútil, e os evangelistas não registraram nada que não tivesse uma mensagem importante para as pessoas.

São atributos de Deus, segundo a Teologia, a Onisciência e a Onipotência, além de ser Ele Imaterial, Infinito, etc.

Deus, segundo os conhecimentos teológicos, bem como espiritualistas, está presente em tudo, sabe tudo, conhece tudo, e tem poder absoluto sobre tudo, nada fugindo ao seu controle e domínio.

Quando Jesus disse que não cai um fio de cabelo de nossa cabeça, ou uma folha de uma árvore sem que Deus saiba e permita, ele estava passando para nós a certeza de que Deus está presente em todos os atos e fatos da vida, e em todo o Universo.

Deus está em tudo, e tudo está em Deus.

A Teologia também considera atributo de Deus a Justiça e a Bondade.

Deus é justo e bom!

É muito fácil para nós agradecer a Deus, ou ficar feliz com Ele quando passamos no vestibular, ou em um concurso público; quando nasce um filho perfeito, quando ganhamos um prêmio na loteria, ou outra coisa que consideramos boa.

No entanto, ainda é difícil para nós aceitarmos as coisas que consideramos ruins, como perder no vestibular, não ser aprovado num concurso, e, sobretudo, quando perdemos um emprego, quando perdemos o pai, a mãe, um filho, marido ou esposa.

Quando essas coisas “ruins” acontecem em nossa vida, colocamos em prova a nossa fé nos desígnios de Deus, pois muitos de nós se revolta contra Deus, por não aceitar a sua vontade, e não entendê-la.

Se Deus é Bom, Justo, Todo Poderoso, Onisciente e Onipresente, então por que Ele deixa que aconteçam em nossa vida coisas “ruins”?

O problema é que ainda temos uma visão muito estreita e limitada a respeito de Deus!

O monoteísmo tem apenas 4 mil anos na Terra! E o monoteísmo é antropomórfico!

Deus ainda é visto pelos humanos como um ser, um espírito, muito semelhante a nós!

Os humanos ainda pensam em Deus com a sua ótica humana limitada, sua perspectiva humana, e por isso em todas as religiões Deus é apresentado com as mesmas características humanas, como raiva, rancor, ira, vingança, etc, como podemos ver claramente no Antigo Testamento da Biblia.

Segundo se pode ler na Bíblia, Jeová, ou Javé, não deixou Moisés pisar na Terra Prometida apenas porque ele bateu numa pedra para que dela jorrasse água, quando Javé disse a ele que era para apenas para ele ordenar (dar preceito) à pedra. Ou seja, por uma coisa mínima, que em nada afetou o resultado final da ação, Deus se sentiu contrariado e se vingou de Moisés.

Isso bem demonstra, como exemplo pequeno, como os antigos religiosos compreendiam Deus. E isso não mudou muito.

Cada religião considera que Deus é único, mas o seu Deus!

Se não fosse assim, judeus e muçulmanos não brigariam tanto! Nem hindus e muçulmanos!

Se existe Deus, e se Ele é único, então Ele é o único Deus para todos, e não poderia jamais tomar pardido, apoiar um em detrimento do outro...

Isso torna absurdo considerar que Deus é Deus dos exércitos de Israel contra seus inimigos, como está escrito no Antigo Testamento, como também torna absurdo pensar que Deus apóia qualquer guerra santa de seres humanos contra seres humanos, apóia terrorismo para matar inocentes de forma indiscriminada, etc.

O Monismo, compreendido por poucos no mundo, vai muito além, e não dá a Deus atributos humanos.

Sem a compreensão da reencarnação, fica ainda mais difícil entender as coisas da vida, e aceitar as perdas, sobretudo de entes queridos.

Sem a compreensão mais profunda de Deus, da reencarnação, e da Lei de Causa e Efeito, tudo fica muito nebuloso na vida.

Quando compreendemos a vida de uma forma mais ampla, incluindo a imortalidade da alma, a reencarnação e a Lei de Causa e Efeito, e passamos a entender Deus de uma forma mais profunda, então é mais fácil entender a vida e aceitar aquelas coisas que antes considerávamos “ruins”.

Uma fé verdadeira em Deus tem que incluir necessariamente a aceitação de seus desígnios, de sua vontade, e os desígnios de Deus são demonstrados através da Lei de Causa e Efeito e da reencarnação.

Se uma pessoa, por exemplo, tira a vida de outra em uma encarnação, pode ser que na vida seguinte ela tenha a sua vida tirada, se não pela mesma pessoa que foi sua vítima no passado, por outra. E assim se faz justiça, e, sobretudo, assim o ser aprende que todos sofrem, e que não devemos fazer ninguém sofrer.

A evolução se processa por meio do amor ou da dor!

Se ainda fazemos o mal a outros, ainda precisamos sofrer o mal, até apredermos a não mais causar dor e sofrimento a ninguém.

Se perdemos um filho ainda jovem, certamente já tiramos a vida do filho de alguém, em plena juventude, em vida anterior.

Se somos agredidos, assaltados, violentados, etc, certamente já fizemos isso antes, e nossa vítima está a nos cobrar agora, ou alguém está sendo instrumento de nosso reagate cármico.

Como dizia Jesus, o mal é necessário, mas ai daquele que causar o mal!

Ainda sofremos porque precisamos nos reajustar com a Lei de Causa e Efeito, e porque ainda precisamos aprender certas coisas!

Quando Jesus nos disse que não cai um fio de cabelo de nossa cabeça sem o consentimento de Deus, ele estava nos dizendo, indiretamente, para confiarmos em Deus.

Devemos confiar na Onisciência, na Onipresença, na Sabedoria, na Justiça e na Bondade de Deus!

Se houve uma perda, seja de qual tipo for, é porque precisávamos passar por essa perda, para algum aprendizado.

Ainda não somos maduros o suficiente para aceitarmos as perdas, sobretudo das pessoas.

Ainda não compreendemos profundamente as razões de Deus! Nem a Vondade de Deus!

Ainda pensamos em Deus como um homem velhinho de barba branca sentado nas nuvens a nos olhar e nos julgar...

Precisamos compreender a Lei de Causa e Efeito, a Evolução espiritual, o objetivo da reencarnação e outras coisas mais, para podermos aceitar a Vontade de Deus sem revolta.

Aceitar uma perda indica maturidade! E essa aceitação nos tranquiliza!

A revolta diante das perdas somente aumenta o nosso sofrimento!

Ninguém sofre inocente, se levarmos em consideração a imortalidade da alma, a reencarnação e a Lei de Causa e Efeito!

Se está sofrendo agora é porque já fez outros sofrerem de forma semelhante, provavelmente em outra vida, e precisa aprender algo.

É claro que muitos sofrimentos são causados nesta vida também!

Se alguém mata e vai para a cadeia, isso nada tem a ver com vidas passadas! É a consequência de um ato praticado nesta vida, e a aplicação da lei dos homens!

Porém, se perdemos um filho ainda criança por uma bala perdida na rua, isso não foi causado aqui e agora nesta vida! As causas certamente estão no passado, e o sofrimento da criança e dos pais era necessário, e isso precisa ser compreendido e aceito, ou o sofrimento será ainda maior e mais prolongado, porque a revolta não traz de volta o filho, e não ameniza a dor do afastamento.

Aceitar as perdas, a queda do fio da cabeça, é demonstrar confiança em Deus, em seus desígnios, em sua vontade, em sua bondade e em sua justiça.

Em suma, é demonstrar confiança e fé verdadeira em Deus!

Confiar em Deus não apenas quanto às coisas que nos agradam, mas também quanto às coisas que não nos agradam, acreditando que há uma razão para a dor, para o sofrimento, e essa aceitação traduz nosso amadurecimento, nossa confiança em Deus, e assim a nossa fé se fortalece!

Confiar em Deus sempre!

A vida é eterna! Somos espíritos imortais!

Toda dor e todo sofrimento são passageiros! Não existe sofrimento eterno, nem neste mundo nem no outro!

Se está sofrendo, tenha resignação, aceitação, e paciência, porque a dor e o sofrimento vão passar...

Jamais se revolte contra Deus!

Ele só quer o nosso bem, a nossa evolução e a nossa felicidade!

Muita Paz.

Salvador, 15 de setembro de 2012.

Luiz Roberto Mattos







15/9/2012 10:04:04    Versão para impressão
Se desejar, faça um comentário:
Seu nome:
Cidade:
Faça seu comentário:
Favor digitar exatamente as letras da figura abaixo antes e clicar enviar:
Voltar    
Programação e Design por Alexei Bueno - Visitas: 399598

FECHAR

Criação da Loja Virtual e venda dos livros

Amigos, durante mais de nove anos mantive todos os meus livros disponíveis para download gratuito e uso em qualquer site.

Decidi recentemente iniciar a produção dos livros que nunca foram publicados impressos. Isso implica em custo com capa, diagramação, revisão e impressão.

Dessa forma, e por esse motivo, resolvi criar uma loja virtual aqui no site para a venda dos livros, inicialmente em formato e-book, e depois um a um impresso.

Não posso custear a edição física de todos os livros sem a venda dos e-books.

Já estão à venda meus livros eletrônicos (e-book), com preço razoável, para custear a edição física dos livros.

Em breve lançarei, impresso, o livro "O ALÉM - DE ONDE VIEMOS E PARA ONDE VAMOS". E farei lançamentos com palestras.

Em seguida virão os outros.

O pagamento das compras será feito através do Pague Seguro, que aceita qualquer cartão de crédito ou débito!

Muita paz!

Luiz Roberto Mattos

Clique aqui para entrar na Loja: www.mestresanakhan.com.br/loja